Parábolas de Jesus

Parábolas

Parábolas da sabedoria

Nome do Parabole:

- As dez virgens
- As virgens sábias
- As dez garotas

Resumo

As dez virgens

Do evangelho de Mateus Capítulo 25, Versículos 1-13

O reino dos céus é como dez virgens que pegaram suas lâmpadas e saíram ao encontro do noivo. Cinco deles eram tolos e cinco sábios; os tolos pegaram as lâmpadas, mas não levaram óleo com elas; os sábios, em vez disso, juntamente com as lâmpadas, também levavam óleo em pequenos vasos. Como o noivo estava atrasado, todos cochilaram e dormiram. À meia-noite surgiu um grito: "Aqui está o noivo, vá até ele!" Então todas aquelas virgens acordaram e prepararam suas lâmpadas. E os tolos disseram aos sábios: Dai-nos do teu óleo, porque as nossas lâmpadas se apagam. Mas os sábios responderam: Não, que ele não falhou por nós e por você; vá antes aos vendedores e compre-os. Agora, enquanto eles compravam petróleo, o noivo chegou e as virgens prontas entraram com ele no casamento, e a porta foi fechada. Mais tarde, as outras virgens também chegaram e começaram a dizer: Senhor, senhor, abra-nos! Mas ele respondeu: Em verdade te digo que não te conheço. Observe, pois, você não conhece o dia nem a hora.

Exegese parábola

O significado desta parábola é relativo à expectativa da vinda do Senhor, quando o Filho do homem aparecer sobre as nuvens do céu com grande poder e glória. Esse retorno do Senhor já aconteceu para a geração que ouviu esta palavra, aconteceu com a ressurreição. Para nós, essa ressurreição, como é proclamada, que é o retorno do Senhor, é a proclamação diária do Evangelho, porque Sua Palavra é exatamente o instrumento com o qual ela se faz presente agora.

Esta parábola fala de dez virgens, das quais cinco são sábias e cinco são tolas, e todas estão esperando pelo noivo; devemos refletir sobre a imagem que nos é proposta aqui: Jesus a extrai dos profetas, em Isaías e, principalmente, em Oséias, que usam essa visão conjugal, bem conhecida pelos discípulos e pelas pessoas que depois o ouviram. Os profetas, quando se referem a termos esponsais, significam o povo de Deus, o povo de Israel, o povo santo ou a noiva de Deus.

No livro bíblico de Oséias, há uma passagem na qual o Senhor repreende Israel como a noiva que traiu o marido para perseguir os amantes (ver Os 2,4-15). A denúncia do estado de prostituição do povo de Israel é o argumento conjugal que caracteriza todo o antigo testamento e é o estado que alcançou repreensivelmente o relacionamento do povo de Deus com o próprio Deus.

Jesus assume esse simbolismo, referindo-se a dez virgens que foram ao encontro do noivo: as virgens são um símbolo de pureza e fidelidade, isto é, de como deveria ser o povo de Deus.No entanto, a parábola afirma que esse povo é composto de pessoas sábias e por pessoas tolas, no entanto, todos eles estão lá esperando o noivo. Ao mencionar a presença das virgens tolas, Jesus faz alusão a sumos sacerdotes, escribas e fariseus, ou àquela parte de Israel que deu crédito à sua própria doutrina, a uma lei completamente humana: eles serão precisamente aqueles que não reconhecerão o Filho do homem.

As virgens sábias, por outro lado, são aquelas que buscam a Deus, crêem e, visto que o "noivo" (seu Deus encarnado em Jesus) vem encontrá-las, o reconhecerão e acreditarão nele.Estas duas realidades, as virgens sábias e tolas, na aparência eles não se destacam, pois ambos estão com a lâmpada acesa; de fato, voltando à analogia mencionada, até fariseus e escribas, à sua maneira, buscam a Deus, mas são incapazes de seguir Sua vontade e reconhecê-Lo em Jesus.

A parábola nos leva ao grito: "Aqui está o noivo!" Esse grito destaca um detalhe muito importante: naquele exato momento, as virgens tolas percebem que não têm mais óleo. O clamor corresponde ao anúncio, ao anúncio da ressurreição e após a proclamação do Evangelho de Jesus, que torna Sua presença manifesta naquele tempo e nos séculos seguintes. Que efeito esse choro gera? O que acontece Agora os dois grupos se destacam claramente: por um lado, existem aqueles que têm petróleo, por outro, aqueles que não têm petróleo. No entanto, todas as dez virgens aguardavam a sua chegada, com suprimentos de petróleo, tanto que, inicialmente, na expectativa deles, todos estavam com a lâmpada acesa.

O que então distingue o sábio das estolas? O fato de os primeiros também receberem óleo de reserva e, quando o noivo chega e os convida a segui-lo, as virgens sábias conseguem, os tolos não. Até esse óleo de reserva é um símbolo: representa quem reconheceu em Jesus a manifestação de Deus e, reconhecendo-o, pode entrar na sala do casamento, que está em comunhão com Deus, e os tolos ficam surpresos com a chegada do noivo, eles vão procurar o óleo, mas quando voltam, dizem: "Eu não te conheço". Eles representam aqueles que buscam a Deus com presunção, e não O reconhecem em Jesus: é por isso que a porta está fechada para eles, não participam do casamento, não desfrutam da presença do noivo, não entram no Reino dos Céus.

O próprio Jesus disse: "Eu sou a porta: se alguém entrar por mim, será salvo" (Jo 10: 9); quem não o reconhece e não o leva como guia, não pode, portanto, entrar na casa do pai. É o que acontece quando a ressurreição é anunciada, mas também toda vez que o Evangelho de Jesus é proclamado: quando Paulo testifica que ele foi enviado para pregá-lo entre os gentios, ele não se preocupa que eles não tenham uma tradição como povo de Jesus. Deus, mas aceita sem hesitar a certeza de que o poder da Palavra pode se apegar a todos os corações que buscam sinceramente a Deus.

Aplica-se a todos, sem exceção e a qualquer momento! Agora depende de você aceitar esta Palavra, movida pelo desejo de encontrar com Deus. Se você o buscar com um coração sincero em Jesus, não tenha medo: quando ouvir a sua voz, você a reconhecerá e, no final, será convidado a participar do casamento que lhe permitirá estar eternamente em comunhão com Deus.

Pode interessar