Bem-Aventuranças

Beatitudini evangeliche

Primeira bem-aventurança

Quem voluntariamente se priva de tudo o que é mal e de vícios cai na pobreza indicada por Jesus.

Mas quem são os pobres?

Quando Jesus disse: "Bem-aventurados os pobres em espírito" e então: "Ai de vocês ricos", como as palavras do Mestre devem ser interpretadas?

Alguns teólogos, exegetas, etc. eles nos explicam que a felicidade deve ser aplicada aos pobres ou aos ricos pertencentes às diferentes categorias sociais. De fato, os pobres são aqueles que vivem na pobreza, enquanto aqueles que possuem muito dinheiro são ricos.

Jesus também disse: "É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus". Bem, de acordo com esta interpretação, se o pobre é abençoado enquanto os ricos não podem entrar no reino dos céus e caminhar em direção à sua condenação, porque a Igreja está ansiosa para tirar a benção dos pobres para projetá-la para condenação e não projetar os ricos para pobreza?

Bem-aventurados os pobres em espírito porque o Reino dos Céus é deles.
Nas Sagradas Escrituras, dois tipos de riqueza são mencionados; o material e o virtuoso. O Senhor proíbe a acumulação desse tipo de tesouro que pode ser consumido pela traça e pela ferrugem, que são expostos à farinha das traças e às ciladas dos ladrões (Mt 6:19), porque são a ruína da alma. Em vez disso, Jesus nos convida a buscar com solicitude a riqueza desses bens superiores, que a corrupção não pode afetar.

Quem não tem temperança, sede de justiça, sabedoria, prudência é constantemente atormentado pela privação desses bens preciosos. Aqueles que se privam voluntariamente de tudo o que é mal e vícios carnais caem na pobreza indicada por Jesus, cuja recompensa é o Reino dos Céus.

Se você se deixar atrair pelo engano das paixões, todos os tesouros virtuosos desaparecerão como sombras evanescentes, como fumaça no nevoeiro. A juventude passa e a idade inevitavelmente avança e, com ela, se você não tiver remediado as desordens de sua vida, o orgulho aumentará imensamente, o que será a ruína de sua alma.

Não cubra seus ouvidos com esses discursos, não rejeite a pobreza que nos aproxima da riqueza celestial. Uma coisa lhe falta: "vai, vende o que tens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu; e vem! Segue-me! "(Mt 19:21).

Pobre é aquele que mudou o bem-estar material com a riqueza celestial, aquele que tira as riquezas das posses terrestres como um lastro, para ser levado para o alto e para ser arrebatado nas nuvens do céu em direção ao Senhor. (1Ts 4,17).

Pesado é todo tipo de material procurado por riqueza, enquanto a virtude é luz. Se quisermos nos elevar às coisas acima, devemos nos tornar pobres renunciando a tudo o que nos atrai, para que também nós possamos morar, um dia, não muito longe, nas regiões mais altas.

Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos céus

Nas Sagradas Escrituras, dois tipos de riqueza são elevados; ou material e ou virtuoso. O Senhor proibir acumular do tipo de tesouro que pode ser consumida pela traça e pela ferrugem, que é exposta à farinha das traças e às ciladas dos ladrões (Mt 6:19), porque são uma ruína da alma. Em vez disso, Jesus nos convida a buscar uma unidade de recursos superiores, que não podem se expandir.

Quem não tem temperança, casa de justiça, sabedoria, prudência é constantemente atormentado pela privação dos bens preciosos. Os que se privam voluntariamente de tudo ou que é mal e vícios carnais na pobreza indicada por Jesus, será recompensaé ou Reino dos Céus.

Se você se iluminar com o movimento das paixões, todos os sons virtuosos estão diminuindo como sombras evanescentes, como fumaça no nevoeiro. Uma juventude passa e uma idade inevitavelmente avança e, com ela, se você não tiver remediado como desordens de sua vida, o orgulho aumentará imensamente, ou será uma ruína de sua alma.

Não cubra seus ouvidos com esses discursos, não rejeite a pobreza que nos aproxima da riqueza celestial. Uma vez a falta: "vai, vende, ou dezenas, dá aos pobres e terás um tesouro no céu; e vem! Segue-me" (Mt 19,21).

O poço é aquele que mudou ou bem material com uma energia celeste, aqua que puxa as bases das casas terrestres com um prato, para ser levado para o alto e para ser arrebatado nas nuvens do céu em direção ao Senhor. (1Ts 4,17). Pesado é todo o tipo de material procurado por riqueza, enquanto a luz é praticada. Se nos nos elevar para as coisas acima, devemos nos tornar pobres renunciando a tudo ou que nos atrai, para nós também não existimos, nas regiões de milho altas.

Mas como nos tornamos realmente "pobres de espírito"? O próprio Jesus diz que aqueles que querem segui-lo neste caminho devem negar a si mesmos. Isso é pobreza de espírito: autonegação. Por outro lado Jesus diz aos fariseus: "Vocês não entrarão no reino", porque são ricos em espírito, isto é, seus corações estão cheios de todas aquelas "riquezas" materiais que os afastam de Deus: são orgulhosos, ambiciosos, cheios de orgulho e prisioneiros das coisas terrenas. Tanto os que possuem bens terrenos como os que são pobres podem ser pobres de espírito, desde que não sejam tomados pela ganância e inveja.

As coisas que tornam o homem rico são ouro, do ponto de vista da matéria e das afeições, do ponto de vista dos sentimentos. Em ouro, não apenas moedas e jóias são incluídas, mas também casas, campos, móveis, animais, carros, tudo o que torna a vida materialmente sumptuosa. Enquanto nas afeições estão incluídos os laços de sangue, amizades, amores, etc. Se os pobres podem pensar que é suficiente para não invejar aqueles que têm que estar em ordem, porque eles não possuem propriedade, mesmo os pobres devem se guardar, pois mesmo os mais miseráveis homens podem transformar os seus próprios em um coração endurecido e envenenado. ímpio, cheio de ganância, delirante de possessão, com o risco de se tornar pecador e rico de espírito.

É necessário usar com amor as riquezas que Deus nos concede, sejam afetiva ou sejam materialmente. E somente aqueles que não os fazem ídolos, mas os meios para servir a Deus em santidade, demonstram que eles não têm um apego pecaminoso a eles. Então pratique a santa pobreza do espírito, que tira tudo de você, para ser mais livre para alcançar Deus, única e imensa Riqueza. E somente uma fé fervorosa dá a força da renúncia: Jesus nos convida à plenitude da felicidade, ele veio anunciar que é possível ser feliz aqui nesta existência, é suficiente amar e desejar a pobreza de espírito, que nada mais é que pobreza de vícios.

Pode interessar