Milagres

Antonio

Santo Antônio

Antônio sacrificou tudo por Deus para trazer a ele as almas que foram convertidas também graças aos milagres que Deus lhe concedeu.

A visão

Antônio enquanto rezava, sozinho, na sala, o mestre que o hospedara espiando secretamente por uma janela, viu uma linda e alegre criança aparecer nos braços do beato Antônio. O Santo o abraçou e beijou, contemplando seu rosto com energia incessante. Aquele cidadão, maravilhado e extasiado com a beleza daquela criança, pensava consigo mesmo de onde tinha vindo uma criança tão graciosa. Essa criança era o Senhor Jesus, que revelou ao Bem-aventurado Antônio que o anfitrião o estava observando. Depois de uma longa oração, a visão desapareceu, o Santo chamou o cidadão e proibiu-o de revelar a quem quer que fosse, ele vivo, o que tinha visto.

A pregação aos peixes.

Antônio foi espalhar a palavra de Deus, quando alguns hereges tentaram dissuadir os fiéis que correram para ouvir o santo, Antônio foi então até a margem do rio que corria a curta distância e contou aos hereges de tal forma que a multidão presente ouviu: Já que provaste que és indigno da palavra de Deus, eis que me volto para os peixes para confundir a tua incredulidade. E ele começou a pregar aos peixes sobre a grandeza e magnificência de Deus. À medida que Antônio falava, mais e mais peixes iam para a praia para ouvi-lo, erguendo a parte superior do corpo acima da superfície da água e observando atentamente, abrindo a boca e curvando a cabeça em reverência. Os aldeões correram para ver o prodígio, e com eles também os hereges que se ajoelharam ouvindo as palavras de Antônio. Uma vez obtida a conversão dos hereges, o Santo abençoou os peixes e os soltou.

A égua (a mula).

Em Rimini, Antônio tentava converter um herege e a disputa girava em torno do sacramento da Eucaristia ou da presença real de Jesus. O herege Bonvillo desafia Antônio dizendo: Se você, Antônio, poderá provar com um milagre que na comunhão dos crentes há, por mais velado que seja, o verdadeiro corpo de Cristo, abjurei toda heresia, imediatamente submeterei minha cabeça à fé catôlica.
Antônio aceita o desafio porque está convencido de obter tudo do Senhor para a conversão do herege. Então Bonfillo, convidando com a mão ao silêncio, disse: Vou manter minha égua fechada por três dias, sem comida. Depois de três dias, vou tirá-lo na presença do povo, vou mostrar-lhes a forragem pronta. Enquanto isso, você enfrentará ele com o que afirma ser o corpo de Cristo. Se o animal, mesmo com fome, recusa a ração e adora o seu Deus, acreditarei sinceramente na fé da Igreja. Antônio orou e jejuou durante os três dias. No dia marcado, a praça fica cheia de gente esperando para ver como termina. Antônio celebrou missa em frente à grande multidão e então com grande reverência traz o corpo do Senhor diante da égua faminta que havia sido carregada para a praça. Ao mesmo tempo, Bonfillo mostrou-lhe a forragem.
Antônio impôs silêncio e ordenou ao animal: Em virtude e em nome do Criador, que eu, tão indigno como sou, seguro em minhas mãos, digo-lhe, animal e ordeno que se aproxime prontamente com humildade e lhe pague o devido veneração, para que os hereges perversos aprendam claramente com este gesto que toda criatura está sujeita ao seu Criador. A égua recusou a forragem, curvando-se e abaixando a cabeça até os jarretes, aproximou-se da genuflexão diante do sacramento do corpo de Cristo em sinal de adoração. Vendo o que havia acontecido, todos os presentes, incluindo os hereges e Bonvillo se ajoelharam em adoração.

O pé recolocado.

Enquanto estava se confessando, Antônio recebeu um menino que chutou sua mãe por um acesso de raiva. Antônio comentou que por uma ação tão grave ele teria merecido a amputação do pé, mas ao vê-lo sinceramente arrependido o absolveu de seus pecados. Quando chegou em casa, o menino pegou um machado e cortou seu pé com um grito alto. A mãe correu, viu a cena e foi até Antônio acusando-o do incidente. Antônio então foi até a casa do menino e recolocou o pé em sua perna sem deixar nenhuma cicatriz.

O recém-nascido que fala.

Em Ferrara havia um cavaleiro extremamente ciumento de sua esposa, que possuía uma graça e doçura inatas. Ainda grávida, ele a acusou injustamente de adultério e assim que nasceu a criança, que tinha uma pele bastante escura, o marido ficou ainda mais convencido de que ela o havia traído.
No batismo da criança, enquanto a procissão ia à igreja com o pai, parentes e amigos, Antônio passou e, sabendo das acusações do cavaleiro, impôs o nome de Jesus à criança perguntando quem era seu pai. A criança, recém-nascida, apontou o dedo para o cavaleiro e então, em voz clara, disse: "este é o meu pai!" A maravilha dos presentes foi grande, e sobretudo a do cavaleiro que retirou todas as acusações contra sua esposa e viveu feliz com ela.

O coração do avarento.

Enquanto o irmão Antônio pregava em Florença, morreu um homem muito rico que não queria ouvir as exortações do santo. Os parentes do falecido quiseram que o funeral fosse esplêndido e convidaram o Irmão Antônio a fazer o elogio. Grande foi a sua indignação quando ouviram o santo frade comentar as palavras do Evangelho: «Onde está o teu tesouro, aí está o teu coração» (Mt 6,21), dizendo que o morto fora avarento e usurário.
Para responder à ira de familiares e amigos, o Santo disse: "Vá e olhe na sua urna e aí encontrará o seu coração". Eles foram e, para sua surpresa, encontraram-no latejando no meio de dinheiro e joias.
Eles também chamaram um cirurgião para abrir o baú para o cadáver. Ele veio, fez a operação e o encontrou sem coração. Diante desse prodígio, muitos avarentos e usurários se converteram e tentaram reparar o mal feito.
Não busquem as riquezas que tornam o homem escravo e o colocam em risco de se prejudicar, mas sô a virtude aceita a Deus.
Por isso, os cidadãos louvaram com entusiasmo a Deus e ao seu Santo. E aquele morto não foi colocado no mausoléu preparado para ele, mas arrastado como um burro para o dique e enterrado lá.

O linguado na prisão.

O Femando (nome de baptismo de Santo Antônio) amou muito a Deus e aos seus pais. Ele mostrou amor a Deus com longas orações e amor ao pai e à mãe com obediência pronta e feliz. Ao ouvir a voz dos pais que o chamaram, ele estava pronto para sair do jogo e também da oração. Uma vez que o Senhor recompensou seu desejo ardente de ir à igreja, desta forma: era a estação em que as louras do trigo nos campos e a solha, em bandos, desciam nas espigas causando estragos. O pai confiou a Fernando a tarefa de zelar pelo campo, retirando as pestanas durante a sua ausência. O menino obedeceu, mas depois de uma hora sentiu um grande desejo de ir à igreja orar.
Então ele juntou toda a solha e trancou-a em um cômodo da casa. Quando o pai voltou, ficou surpreso ao não encontrar Fernando em campo e ligou para repreendê-lo. Mas o filho garantiu-lhe que nem mesmo um grão de trigo havia sido comido; ela o conduziu para dentro de casa e mostrou-lhe as almas cativas, depois abriu as janelas e as deixou livres. O pai, surpreso, apertou o coração e beijou o filho extraordinário.

O pecador arrependido.

Um dia um grande pecador veio até ele, decidiu mudar sua vida e reparar todos os males que havia cometido. Ele se ajoelhou a seus pés para fazer a confissão, mas sua emoção foi tanta que ele não conseguiu abrir a boca, enquanto as lágrimas de arrependimento banhavam seu rosto. Então o santo frade o aconselhou a se aposentar e escrever seus pecados em uma folha de papel. O homem obedeceu e voltou com uma longa lista. O irmão Antônio leu em voz alta e devolveu o jornal ao relutante que estava ajoelhado. Qual foi a maravilha do pecador arrependido ao ver a folha perfeitamente limpa! Os pecados desapareceram da alma do pecador e também do papel.

Alimentos envenenados.

O grande número de ouvintes que afluíam aos sermões do irmão Antônio e às conversões por ele obtidas enchiam cada vez mais de ôdio os hereges de Rimini, que pensavam em fazê-lo morrer envenenado. Um dia fingiram querer discutir com ele alguns pontos do catecismo e o convidaram para um almoço. O nosso pequeno frade, que não queria perder a oportunidade de fazer o bem, aceitou o convite. Num determinado momento, fizeram-no colocar um prato envenenado à sua frente. Frei Antônio, inspirado por Deus, percebeu isso e os repreendeu dizendo: “Por que vocês fizeram isso?". "Para ver - responderam eles - se as palavras que Jesus disse aos apôstolos são verdadeiras:“ Beberás o veneno e não te fará mal".
O irmão Antônio se reunia em oração, fazia o sinal da cruz na comida e depois comia em paz, sem sofrer nenhum dano. Confusos e arrependidos de suas más ações, os hereges pediram perdão, prometendo se converter.

O jovem ressuscitado.

O irmão Antônio conseguiu salvar o pai, que foi acusado falsamente. Enquanto Antônio estava em Pádua, na cidade de Lisboa um jovem matou um de seus inimigos à noite e o enterrou no jardim do pai de Antônio. Assim que o corpo foi encontrado, o dono do jardim foi acusado. Ele tentou provar sua inocência, mas falhou. O filho, ao saber disso, foi a Lisboa e apresentou-se ao juiz declarando a inocência do pai, mas este não quis acreditar nele.
O Santo então mandou levar o cadáver ao tribunal e, para espanto dos presentes, chamou-o de volta à vida e perguntou-lhe: "Foi meu pai quem te matou?". O ressuscitado, sentado na cama, respondeu: "Não, não era o seu pai" e caiu de costas, voltando a ser cadáver. Então o juiz, convencido da inocência do homem, o soltou.

O dom da bilocação.

Antônio deu um curso de pregação em Montpellier, França. Durante o discurso na igreja catedral, lembrou que naquele dia era a sua vez de cantar o Aleluia durante a missa conventual que se celebrava no seu convento, e não havia contratado ninguém para o substituir. Em seguida, suspendeu a conversa, puxou o capuz sobre a cabeça e permaneceu imôvel por alguns minutos.
Maravilha! Ao mesmo tempo, os frades o viram no coro de sua igreja e o ouviram cantar o Aleluia. No final da canção, os fiéis da catedral de Montpellier viram-no tremer como se dormisse e retomar a pregação. Desta forma, Deus mostrou quão agradáveis eram os trabalhos do servo fiel.

O diabo zombeteiro.

Um dia, na cidade de Limoges, na França, o Santo fazia um discurso aberto, pois nenhuma igreja comportava o grande número de ouvintes que se aglomeravam. De repente, o céu estava coberto por nuvens espessas que ameaçavam cair em um grande aguaceiro. Alguns ouvintes assustados começaram a sair, mas o irmão Antônio os chamou de volta garantindo que não seriam tocados pela chuva. Na verdade, a chuva começou a cair por todos os lados, deixando o solo ocupado pela multidão perfeitamente seco. Apôs o sermão, todos louvaram ao Senhor pelo milagre que ele havia realizado e se recomendaram às orações do santo frade tão poderoso contra as armadilhas do diabo.

Antônio trouxe de volta à vida uma criança que sufocou durante o sono enrolando os cobertores em seu pescoço.

Mesmo depois de sua morte, muitas maravilhas foram realizadas através de Antônio.

No dia do enterro de Antônio, uma mulher doente e aleijada orou diante de sua urna para ficar completamente curada.

O mesmo aconteceu com outra mulher que tinha uma perna direita paralisada. Seu marido a levou ao túmulo de Antônio e, enquanto ela orava, ela se sentia como se alguém a estivesse apoiando. Sua recuperação estava ocorrendo, ele deixou suas muletas caminhando perfeitamente.

Uma garotinha com membros atrofiados e extremamente debilitada foi colocada sobre o túmulo do santo e se recuperou completamente.

Um episôdio singular aconteceu com um cavaleiro chamado Aleardino da Salvaterra, que sempre zombou dos fiéis por considerá-los ignorantes ou ingênuos. Em uma taverna, ele começou a zombar publicamente de alguns que falavam com entusiasmo dos muitos milagres de Antônio. O cavaleiro, zombando deles, disse: "É possível que este frade tenha feito milagres quando esta taça de vidro não se partiu jogando-a com força no chão. Faça este milagre seu santo e eu abraçarei a sua fé".
Aleardino da Salvaterrà atirou com força o vidro ao chão, mas ele não se partiu, pelo contrário, arranhou as pedras em que caiu. Com este milagre, o cavaleiro se converteu e tornou-se catôlico, renunciando aos seus erros.

Pode interessar