Anjos

#

Margarida Maria Alacoque

Carta ao reverendo padre Jean Croiset de 10 agosto 1969.

Visão de Serafins

"Deus deseja a união dos anjos e dos homens. Se se pudessem unir as devoççes deles e todos partecipassem ao bem espiritual recíproco, acredito que o Coração divino exultaria de alegria. Gostaria que se mostrasse uma particular devoção pelos anjos, que são fatos para amá-lo, honrá-lo e louvá-lo no divino sacramento do amor.

Assim, se fôssemos mais unidos a eles, os anjos poderiam interceder por nós na sua divina presença, para homenageá-lo e amá-lo. Isto traria benefício a nós e também a todos aqueles que o amam e repararia as irreverências que cometemos na sua santa presença".

"E uma outra vez me retirei para trabalhar a palha em um pequeno pátio, perto do santo sacramento e, enquanto exeguia a meu trabalho de joelhos, me senti recolhida interiormente e exteriormente, e naquele instante vi o gentil Coração do meu adorável Jesus, mais brillante de um sol. Estava em meio às chamas do amor, circundado pelos serafins que cantavam em um magnífico concerto: "O amor triunfa, o amor júbila; o amor do santo Coração nos alegra".

E quando os espíritos beatos me convidaram a unir-me a eles nas lodes do divino Coração, não ousei me mover; mas eles me repreenderam e depois de duas ou tres de cantos senti no profundo de mim mesma os efeitos benéficos deles, seja pela ajuda recebida, seja pela suavidade que me havia trazido. Aquele momento me deixou em êxtase e rezando para eles, os chamei os meus divinos amigos".

Pode interessar