Penitência

#

Jejum

Lemos na Sagrada Escritura que o Senhor disse ao seu povo, ao falar da necessidade de fazer bom uso das obras para agradar a Deus e fazer parte do número de santos: "As coisas que eu peço não estão acima de sua capacidade, de torná-las, possíveis aqui já na terra, nem é preciso cruzar os mares".

.

Esmola e oração

Curato d'Ars

"Tudo o que de fato existe, por assim dizer, está à sua mão, em seu coração e ao seu redor." Posso repetir as mesmas coisas: é verdade, não tenho chance de ir para o céu, se não as fizer; não estranhe: Jesus Cristo nos pede, não pelas coisas extraordinárias, nem no que está além de nossas capacidades; não nos pede para ficar o dia todo na igreja, nem grandes penitências, arruinando a saúde, e nem mesmo em dar toda a nossa riqueza aos pobres (embora seja verdade que somos obrigados a dar aos pobres o que pudermos, devendo ser feita neste contexto a oferta do que é agradável a Deus reduzindo assim nossos pecados).

É verdade que na pratica e na mortificação das coisas, reside nossas inclinações. Mas, ouvimos dizer, daqueles que se avantajam a outros e que não possuem o hábito de dar esmolas, e outros que estão tão ocupados que dificilmente fariam suas orações da manhã e da noite; Como, então, poderiam ser salvos? Uma vez que labutam continuamente para não fazer boas obras e conquistar o céu? Como toda boa obra está reduzida a oração, ao jejum e a esmola se ocupariam desta maneira?.

Sim, mesmo se sofrêssemos de algum mal e estivéssemos mesmo doentes, o faríamos. Mesmo pobres, ainda poderíamos dar esmolas e mesmo com grandes ocupações, oraríamos a Deus não misturando assuntos práticos nas orações da noite e da manhã, e até mesmo durante o dia. Praticaríamos um jejum que é muito agradável a Deus, às vezes privados de algo de que gostamos. Porque o jejum não é só privação de beber ou de comer, mas da "privação do que apreciamos ao" paladar; mortificando-nos assim, outras fazendo visitas a amigos distantes, outras, nas palavras e discursos de que gostamos de proferir; isto faz grande diferença no que é muito agradável a Deus ao inibir a vaidade, o orgulho, nossa relutância em fazer o que agrada a outrem, não violar o caráter dos outros, em suas formas de agir.

Neste momento você pode satisfazer seu desejo de doces? Em vez de passar despercebido o controle de sua vontade, passe-a aplicando bem. Pratique todos os dias o jejum, como a cada momento do dia.

Mas, diga-me, há algo mais aceitável a Deus? Entregar o sofrimento pacientemente de coisas que muitas vezes nos parecem impróprias e desagradáveis. Sem falar das doenças e deficiências que nos afligem que são insuportáveis nesta vida miserável, que às vezes temos a oportunidade de mortificarmo-nos, não aceitando o que nos é oferecido no comércio? Agora é um trabalho que nos aborrece outra uma pessoa desagradável, e às vezes peso da humilhação. Bem, se aceitarmos tudo isso para o bom Deus, e unicamente para agradá-lo, seremos agradáveis a Deus com este jejum.

Vamos dizer que há um tipo de caridade que todos podem fazer.

Veja que a esmola não é apenas alimento aos famintos, dando roupas para aqueles que não têm nenhuma; Estes favores são para o próximo, tanto para o corpo como para a alma, quando feito em um espírito de caridade. Quando se têm pouco e quando não se têm, tomemos emprestado, se pudermos. Se puder forneça para as necessidades do doente, uma visita, diga-lhes palavras de consolo, ore por eles, diga a eles o lado bom de sua doença. Sim, tudo é grande e valioso aos olhos de Deus, quando agimos sob a razão da religião e da caridade, porque através de Cristo um copo de água não fica sem recompensa. Então veja, apesar de sermos muito pobres, podemos facilmente dar esmolas.

Eu digo que, por maior que Seja a nossa ocupação, há uma espécie de oração que pode ser feita o tempo todo, sem intromissões e aqui está como. Consiste, em fazer tudo sob a vontade de Deus. Diga-me te parece difícil o esforço de fazê-la não importando o quão pequenas te pareçam?.

Pode interessar