São Eusébio Bispo de Vercelli

São Eusébio de Vercelli

São Eusébio Bispo de Vercelli
Sites a visitar
Grupo de oração
Oração e intercessão.
Virgem Maria
Um convite Irresistível.
São José
A grande Patriarca.
São Bento
Contra doenças e maldições
Inferno
A terrível realidade.
Purgatório
Irmãos que estenderão suas mãos.
Paradíso
Viver no Céu.
Amor e Paixão
A Paixão de Cristo
Meditações
A respiração da alma.
Os Anjos
Seres que ardem de amor.
O Pecado
Não é só a transgressão.
Viagem interior
um caminho na psiche.
Milagres Eucarísticos
As Ostias se transformam em carne.
Aparições marianas
Maria segue a humanidade.
Decálogo
Os dez comandamentos.
español english italiano português         

Bispo do IV século

São Eusébio nasce no ano 286 d.C. na Sardenha. Deixa em jovem idade a ilha natia para consagrar a sua vida a Deus e difundir a vida cristã no ocidente.

Recebe o Batismo pelo Papa Eusébio, seu omonimo, com a idade de 23 anos. Papa Silvestro I, no ano 314, o designa leitor da Igreja de Roma – o primeiro grau na estrada para o Sacerdócio -.

No ano 336 Papa Marco ordena São Eusébio presbítero.

Em 15 de dezembro de 345 São Eusébio foi consagrado em Roma, Bispo de Vercelli pelo mesmo Papa S. Giulio I como primeiro Bispo do Piemonte.

Em Vercelli converte em Igreja cristã o templo dedicado a Vesta, deusa do fogo. Cuidou dos ritos e estabeleceu a liturgia sagrada dita também "Rito Eusebiano" que durou somente até o ano 500.

Depois de ter construido igrejas e fixado a liturgia, São Eusébio formou os novos sacerdotes. Ali recolheu com si, na casa episcopal, vivendo em comum e seguindo regras de piedade, de estudo e penitência.

Funda o famoso cenóbio para os seus eclesiásticos e um mosteiro feminino. Visita e evangeliza as populações pagãs do seu território coligando a evangelização ao estile monástico. Fez de Vercelli uma das mais antigas roca(rocha) fortes da fé catolica, contra os assaltos da heresia ariana.

O Arianismo negava a igualdade do Filho e do Pai e conseguentemente a natureza e os atributos divinos do Filho.

No concilio filo-ariano de Milão no 355 São Eusébio, sob violentas pressões do imperador Costanzo II, vem condenado ao exilio. Fechado em uma gaiola como uma belva, foi mandado a Beisan na Palestina. Foi uma viagem triunfal, pela comoção que a vista daquele Bispo acorrentado deu a todos os países atraversados.

Depois da morte do Imperador Costanzo II no ano 362, São Eusébio readquiriu a liberdade. Partecipa com São Atanásio e outros Bispos exiliados no "Sinodo dos confessores" em Alessandria do Egito para discutir sobre como reparar os danos provocados pelo arianismo.

Terminado o Sinodo, visita a Igreja de Antiochia, prosegue para Cesarea de Capadocia, atraversa a Macedonia para anunciar a verdadeira fé cristã.

De volta a Vercelli no 363 vem recebido festosamente e recomeça a sua obra pastoral, missionária e de estudo. Se concede pausas de orações e retiros espirituais orantes em Creta e Oropa. Prepara as novas dioceses de Tortona e Novara.

Morre no 371 a Vercelli, na sua cidade de adoção e o seu corpo foi sepulto na necrópole fora dos muros. No 581 as Relíquias do Santo vêem colocadas na atual Basilica de São Eusébio. Catedral a Ele consagrada, em meio à comovida homenagem do povo.

Também a Oropa na Basilica antiga se conserva uma relíquia do Santo, que é oferecida ao baijo dos fiéis nas procissões dos fiéis que acontece de Abril a Outubro.

Papa João XXIII em 1961 proclama São Eusébio Padroeiro do Piemonte.

Os escritos de São Eusébio chegados até a nós são:
De Unitate Trinitatis; Quattuor Evengeliorum versio latina.

Le lettere: Ad Costantium; Ad clerum et plebem vercellensem; Ad Gregorium episcopum.

Traduziu do grego em latim o "comentário aos Salmos de Eusébio de Cesarea", corrigendo os erros teológicos.

Muitos Padres e escritores deixaram informações ou cenos sobre a vida e obras de São Eusébio entre as quais: S. Ambrogio, S. Girolamo, S. Ilario Poitier, Sulpicio Severio, S. Atanasio, S. Basilio, S. Epifanio, Esebio de Cesarea, Socrate, Sozomene e Teodoreto.

Escreve sobre ele S. Flaviano:
"Cordial, afável e santo, a sua serenidade lhe transpariva no seu vulto. Paciente fora do limite, foi modelo de grande virtude em um mundo verdadeiramente pobre. Severo guardião das Escrituras, pesquisador da verdade...

O seu animo era resplendente de verdade… combateu com coragem os inimigos. Adorou sinceramente Deus, lutou contra qualquer mal. Luz dos errantes, com a sua palavra dissipou os erros. Era tão maravilhoso que nem os lungos jejuns conseguiram a tirar-lhe a força.

Se era habituado a vencer a sede com a água do rio e a defender-se do frio com humildes hábitos. Com a força do céu triunfou sobre o mal.

Mais puro que o ar, não foi tocado pelas coisas ruins deste mundo. Com o fogo da sua pureza distruiu as culpas da vida terrena. Foi mestre dos povos que atraiu com as suas ações exemplares.


  Santos e bem-aventurados:
Santa Teresa de LisieuxSanta Rita de Cássia
Santa LuziaSanta Gemma Galgani
São Antônio GalvãoSanta Elisabeth
Para informações:  monastery@tiscali.it Número de acessos desde 10/02/2009: visite  
Santuário Nossa Senhora de Oropa - Todos os direitos reservados