Crer

Credere

Virtus

- Caridade

Não se pode crer sem conhecer, porque o conhecimento leva a razão a pensar, a vigiar e aprender aquilo que era ignorado para acolhe-lo e faze-lo próprio.

Muito bem! É simples crer naquilo que os olhos vêm, mas é razoável crer naquilo que afirma uma testemunha? Sim, se a testemunha é confiável

CRER

Resposta é sim: quando quem está dando testemunho tem autoridade, é serio e confiável. Existe, portanto um relacionamento proporcional entre o meu "crer" e a medida com a qual a testemunha representa a verdade. No momento em que creio, confio na verdade que me manifestou.

Muitas pessoas acham que o crer esteja ligado ao campo religioso, mas não é assim. De fato, tudo quanto aprendemos é oferecido por intermediários e não de uma experiência direta e somente a fé que colocamos nessas personagens nos permite de aceitar como verdadeiro o quanto proposto. Basta pensar aos conhecimentos históricos, àquelas cartas geográficas, meteorologistas e a todos aqueles eventos de nossa experiência pessoal fornecidas por algum erudito, de um esperto, de uma enciclopédia, de um texto cientifico. Nos cremos há essas fontes que podem demonstrar diretamente o quanto afirmam e fornecer uma experiência direita daquilo que dizem.

Reconhecer a fonte como autoridade, seja essa um erudito, uma enciclopédia ou outra coisa, será sempre um ato de estimação, de fé nessa ultima. A fé, como dito, se apoia na razão e é sempre livre: livre porque não se crê se não queremos crer: é racional porque a inteligência garante que seja razoável faze-lo.

É SABEDORIA CRER NA FÉ CRISTÃ?

A fé é razoável mesmo quando aceita os mistérios de uma verdade superior, revelada por Deus. Rejeitar aquilo que a razão não compreende, é ridículo. Quem conhece, por exemplo, a lei do crescimento de uma semente que germina? Estamos envolvidos em fenómenos extraordinários que ainda não conhecemos e quem ousaria negar, em nome da razão, tais maravilhas? Pois então! É necessário distinguir entre o mistério e o absurdo, entre o que transcende a razão e aquilo que é contrario à razão, ou seja, irracional e impossível.

O MISTERIO

A verdade cristã não se pode demonstrar cientificamente, mas é crível porque é uma verdade que fornece a razão, um conteúdo que ilumina a inteligência e o faz penetrar em um mundo que por si não poderia jamais provir. É uma verdade que não podemos alcançar para revela-la e somente depois da revelação é que a podemos compreender.

Das verdades de fé nos poderíamos proclamar como aqueles que escutavam Jesus naquele tempo: "Esse discurso é duro, quem o pode escutar?" (João 6.60). A resposta de Jesus seria sempre a mesma: "Vocês também querem ir embora?".
(João 6.66).

Uma resposta clara que nos coloca diante da eternidade. Do nosso coração poderiam sair as mesmas palavras de Pedro: "Senhor, para quem iremos? Somente você tem palavras de vida eterna".
(João 6.68).

Também naqueles tempos, não obstante Jesus fizesse extraordinários milagres e ensinasse uma doutrina perfeita, nunca escutada, alguns não prestaram atenção e não quiseram crer não obstante os milagres efetuados pelo Divino Mestre, fossem claros e verificáveis sob os olhos de todos. Não creram porque não estavam dispostos a crer, não queriam crer.

Nesse tempo, Deus, através as Sagradas Escrituras, deseja falar também para nós. Nós temos a possibilidade de escuta-lo ou nega-lo, crer ou desconsiderar as suas sábias palavras? Isso é um mistério que tem sua origem desde as raízes da nossa existência, porque crer e não crer, condiciona toda nossa existência terrena e também o nosso futuro na eternidade.

A TRANSCENDENCIA DA FÉ

O percurso da incredulidade da fé não é possível manobrá-lo somente utilizando meios humanos através o estudo e o conhecimento cientifico, ocorre seguir o impulso que nasce do desejo da Graça Divina. A Graça Divina nos é fornecida sempre em abundância mas o que falta, às vezes, é o nosso empenho humano e pessoal. A fé, portanto, é conquista e dom. Nos disse Jesus: "Ninguém pode vir a mim se não lhe for dato pelo Pai".
(João 6. 65).

Enfim, a fé é o nosso relacionamento pessoal com Cristo. Não esqueçamos sua pergunta quando disse: "... mas o Filho do Homem, quando virá, encontrará fé sobre a terra?". (Lucas 18.8). A interrogação pode deixar a entender que talvez virão tempos difíceis pela fé. Não obstante essa expectativa não devemos ter medo porque a fé de poucos ou de muitos, sempre nos salvará.

Pode interessar

Sites a visitar

Oração

Nazareth

Evangelho

Novíssimos

Paixão

Virtudes teologais

Temática

Riflexões

Ensinamentos

Santos

Pode interessar