Purgatório

#

Escrituras

A doutrina da Igreja sobre o Purgatório encontra fundamento na Bíblia, quando se sabe interpretá-la correttamente:

O texto 2 Macabei 12, 43-46 pressupõe que exista uma purificação depois da morte.

Das Sagradas Escrituras Bíblicas

(Juda Macabeu) efetuou entre os seus soldados uma colheita…. a fim de que lhe oferecesse um sacrifício para o pecado... porque... acreditava com firmeza em uma preciosa recompensa para aqueles que morrem na graça de Deus... ofereceu este sacrifício para os mortos a fim de que fossem perdonados pelos seus pecados.

Igualmente as palavras do nosso Senhor:

A quem falará mal do Filho do homem será perdoado, mas a bestemmia contra o Espírito, não lhe será perdoada nem neste século, nem naquele futuro.
(Mt 12,32).

Quando vais com o teu adversário na frente do magistrado, através da estrada procura de fazer um acordo com ele, para que não te leve na frente do juíz e o juíz te entregue ao executor e este te coloque na prisão. Te digo, não sairas até que não terás pagado até o último centavo.
(Lc 12,58-58).

Jesus faz referimento a um castigo temporal que não pode ser o inferno e nem o céu.

Se chega a uma conclusão símile na carta de São Paulo:

Ninguém pode colocar um fundamento diferente daquele que já existe, que é Jesus Cristo. E se, neste fundamento, se constrói com ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um será bem visível: a fará conhecer naquele dia que se manifestará com o fogo e o fogo experimentará a qualidade da obra de cada um.
(1 Coríncios 3,11-13).

De modo que existe um fogo depois da morte que, diferente do inferno, é temporário. A alma que por alí passa, se salvará. Este estado de limpeza o chamamos "Purgatório".

De outro modo, que coisa fariam aqueles que vêem batizados para os mortos? Se é verdade que os mortos não resurgem, porque se fazem batizar para os mortos? (1Coríncios 15,29)

A palavra "batismo" é utilizada aqui como uma metáfora para exprimir sofrimento ou penitência;

- Jesus disse a eles: "Vós não sabeis aquilo que perguntastes. Podeis beber o cálice que eu bebo ou receber o batismo com o qual eu fui batizado?". Lhe responderam: "Podemos". E Jesus disse: "O cálice que eu bebo também vós bebereis e o batismo que eu recebo também vós o recebereis".
(Mc 10, 39-40).

- João respondeu a todos dizendo: "Eu vos batizo com água, mas vem um que é mais forte de mim, ao qual eu não sou digno nem de desmarrar as suas sandálias: este vos batizará no Espírito Santo e fogo".
(Lc 3, 16).

Pode interessar