Misericórdia

#

Maria Valtorta

Jesus diz: O amor, a misericórdia, a oração, a mortificação, o desejo de possuir os dons de Deus e de santidade, sentimentos inegavelmente dignos de louvor, podem ser manchados com a impureza que os estraga e os torna indesejáveis. Deus.

Misericórdia

26 de julho
A pureza do coração não consiste em ter um coração fechado em um corpo virgem, nem em ter um coração que deseja permanecer assim. A pureza do coração é uma coisa tão delicada que a pureza física não é nada comparada. Este muro maciço, contra o qual as tentativas de Satanás se chocam sem ferimentos graves. Basta que não se queira, quem não consegue se violar. Mas a outra é uma teia de aranha prateada e até a asa de uma mosca pode quebrá-la. A falta de consideração do espírito que deixa de se monitorar constantemente e com atenção. Então é muito fácil para as coisas mais sagradas mancharem a ferrugem humana, decompondo ou pelo menos desfigurando sua boa essência.

O amor de Deus é impuro quando você dá a Deus um culto cujo objetivo é este: "Eu te amo porque quero muito de você". Você pode pedir e esperar por tudo, de Deus que te ama. Mas, como é mais bonito dizer: "Pai, eu te amo e quero o que você quer. Peço apenas que faça o que você quer. Só quero o que você me envia, porque, se você o envia para mim, é certo para o meu bem. Você é meu pai e eu me abandono ao seu amor". Ele é impuro quando pede indenização. Deus deve ser amado acima de todo cálculo. Amado por si só. Se eu dissesse: "Amor sem esperança de recompensa" se referindo ao meu próximo, com mais razão esse puro amor ao cálculo não deveria ser dado a Deus?

Igualmente, o amor ao próximo é impuro quando você ama apenas aqueles que o amam, aqueles que o servem ou de alguma forma lhe são úteis.

Eu não coloquei limitação no amor ao próximo. Eu disse: "Ame seu próximo como a si mesmo". E conhecendo sua tendência de se proclamar bom, gentil, querido, santo e assim por diante, e também sua sutileza em distinguir o que faz você se distinguir - o que o levaria a amar muito poucos, porque em todos eles você encontraria defeitos comparado com suas virtudes, defeitos que justificariam, aos seus olhos, seu rigor em relação a seu vizinho - eu especifiquei: "Ofereça a outra face àqueles que já o atingiram, àqueles que arrogantemente ergueram sua túnica, também lhes deram sua capa. Ame e beneficie aqueles que te odeiam, ore por aqueles que fazem você sofrer".

Eu sei que o senso do mundo chama essas dicas de "tolices". Os porcos chamam as pedras de pérolas sujas e preferem a sopa fétida na qual flutuam os excrementos e os resíduos. O sentido do mundo tem muitas afinidades com os gostos dos porcos. Mas o que é loucura no mundo é ciência para os filhos do Altíssimo, é inteligência e graça.

Siga essa ciência, inteligência e graça, e você terá um grande prêmio no Céu e confortos sobrenaturais na Terra, aqueles confortos de todas as horas que os mundanos buscam em vão encontrar entre as coisas do mundo, e quanto mais eles mergulham nela, mais amargo e nojo penetrar seu coração. Só existe Deus que dá paz. Deus e boa consciência. Duas coisas que os pecadores não lhes são amigáveis.

Misericórdia ainda é bonita. Mas para ser verdadeiramente bonito e puro como uma virgem feliz que vai ao altar, deve-se confiar na intenção correta como o braço de um noivo amoroso a quem a fé é jurada. Caso contrário, torna-se vaidade e orgulho, e até dar é inútil quando você joga seu oboli nas mandíbulas de Satanás.

Eu disse: "Seja misericordioso como meu pai é". Mas talvez o Deus Pai toque a trombeta ou olhe para o salto do céu para dizer: "Ouça, ouça! Dei pão e vida a muitas criaturas hoje, defendi muitas outras de perigos, perdoei muitas outras?" Não. Ele faz e fica calado. Faça com tanta modéstia, com tanto cuidado reservado, que você, tolos do mundo, nem pensa que o que você gosta sempre será dado por Deus, que é bom demais para você; e você, que não é tolo, mas ainda está longe de ser cristão como deveria ser, diz: "Deus me deu. Mas eu mereço". Oh! oh! ele mereceu! E esse orgulho já não é uma fonte de demérito? E quem pode dizer isso de modo implícito: "Se Deus não tivesse feito isso, ele teria errado"?

De manhã à noite e do pôr do sol ao nascer do sol, Deus é misericordioso e benéfico, e apenas raras exceções entre as crianças da Terra olham para cima e coração para dizer com um sorriso: "Obrigado, bom Pai. Reconheço sua mão neste presente". Quando você tiver misericórdia, faça-o apenas por amor: de Deus imitar o bom Pai, do próximo, de obedecer à minha palavra e ao meu exemplo.

Oração! Oh, que coisa boa é a oração! Deus colocou no coração do homem a necessidade de respirar. De fato, não é o sopro da alma? Sem respiração, o movimento do sangue também cessa e o corpo morre. A oração é aquela que mantém o espírito vital, mantendo-o sempre na presença de Deus, e dois que são vistos não podem ser esquecidos. Não é mesmo? Bem, a oração é permanecer diante de Deus, como filho, e dizer-lhe: "Aqui estou. Eu sei que você é meu Pai e, portanto, eu me aproximo de você. Com quem falar certamente deve ser entendido, se não com aquele que sou eu Ele ensinou a Palavra, sua Palavra?"

Em verdade vos digo: no meu Céu há santidade e santos de todas as características, mas não há alguém que tenha alcançado a santidade pelo desejo de ser conhecido e celebrado por isso entre os homens. Um está lá pelo martírio, o outro por ter sido âncora, um porque ele era incansável trabalhador dos corações através da pregação e o outro porque ele foi consumido em silêncio e oração, isso porque ele era meu amante a infância e a outra tortura, ainda que era o cavaleiro do Purissima e que era o arauto do grande Rei. Mas não há, não há ninguém que seja santo porque ele pensou que deveria trazer uma auréola aos olhos do mundo.

Você não vê os santos no dia em que a santidade deles é proclamada na terra. Mas se você pudesse vê-los naquele momento, veria um espanto de crianças que, tendo já nas mãos um brinquedo de grande valor ou contemplando uma bela gravura, elas se veem colocar nas mãos um trapinho mesquinho e sob os olhos um cincischia para desenhar e ouvir o som o adulto que lhes oferece diz a ele: "Olha que belo presente eu te dou!". O garoto olha e fica calado. Mas pense, com a observação correta das crianças: "Mas não há comparação com o que eu já tenho". E eles permanecem indiferentes ao presente, continuando a olhar e acariciar o que já tinham.

Os santos têm Deus, o que você mais quer que eu os seduza? A auréola aumenta sua alegria? Eles já o têm completo e perfeito. Eles têm Deus.

Mais uma vez: uma criança boa, muito, muito, muito boa, nem um pouco hipócrita, quando se vê elogiado por ser bom, pensa: "Eu não precisava fazer isso? Meu pai sempre me diz que eu devo ser e, portanto, não fiz nada que ele merece. elogiei. Obedeci ao meu pai para fazê-lo feliz". Ele não entende, em sua humildade, como é bom saber obedecer por amor e fazer felizes aqueles que o amam.

Até os santos, humildes por serem santos, pensam: "O que eu fiz de especial? Obedeci à ordem de Deus meu Pai para fazê-lo feliz". E eles já estão tão completamente felizes, que as festas da terra os deixam indiferentes. As férias, eu disse. Não as orações dos fiéis. São petições que amigos distantes enviam a quem, ao lado de Deus, pode falar-lhes mais diretamente sobre suas necessidades. Isso é caridade. E a caridade, praticada com perfeição por eles na vida, tornou-se ainda mais perfeita desde que se fundiu com a própria Caridade.

Portanto, deseje puramente a santidade e os dons que o ajudam a possuí-lo. Mas com pureza de coração. Ou seja, com o único desejo de reunir o mais breve possível com Deus para amá-lo ainda mais e beneficiar seus irmãos com seus méritos pela comunhão dos santos.

E a mortificação? Oh! seja puro! Quantas mortificações inúteis você não! Inútil e pecaminoso. Por quê? Porque impuro. Aqueles manchados pelo desejo de louvor e anti-caridade são impuros. Ser bom em ser elogiado, fazer uma penitência ser notada, sacrificar-se em comer uma fruta porque o mundo admira e depois não saber ser paciente, humilde, misericordioso, é realmente inútil. O que você quer que eu faça com seu fruto não consumido quando vingar o sacrifício de comê-lo mordendo seu irmão com palavras venenosas? O que você quer que eu faça com sua penitência, se você não consegue suportar o que a vida lhe traz? Qual é o mérito de ser bom quando você é uma víbora em sua casa? Que mérito usar pano de saco se você não sabe usar o pano de saco da minha vontade?

Lembre-se do que eu disse: "Quando você faz penitência, unge a cabeça e lava o rosto". Sinta-se livre para passar dos olhos imortalizados para os tolos do mundo. Só não dê escândalo, porque o escândalo é sempre ruim. Mas se você aparecer apenas criaturas comuns e, portanto, não tiver nada além de indiferença e elogios, enquanto em segredo se consome pelo amor de Deus e de seus irmãos, seu mérito será grande aos olhos de Deus.

E se você não sabe impor penitências a si mesmo, oh! aceite os da vida. Está cheio deles! Aceite dizer: "Se essa dor vem de Deus, Senhor, seja feita a sua vontade; se vem de um pobre irmão mau, Pai, eu a ofereço porque você a perdoa e a redime". Faça isso, amado. E tudo em você será puro. Você terá a pureza do coração. E em um coração que tem pureza, Deus trono. Vá em paz agora. Prossiga com a minha paz no caminho da pureza do coração, pensando que os puros de coração desfrutam de Deus".

28 de julho. Giovanni, cap. 9º v. 31.
Jesus diz: "O poder de fazer a vontade de Deus! Faz com que Deus nos negue qualquer coisa. Dada a majestade do Senhor, não se pode dizer que Ele se torna servo do homem obediente, mas parece que o Altíssimo, diante de seu servo obediente, quer vencê-lo em prontidão e, por tudo que é bom, ele o cumpre com preocupação imediata.

Poucas orações são o que recebem. É fazer a vontade de Deus, orar e resistir a essa vontade significa anular as orações. Como você pode exigir, por justiça, que Deus se curve à sua vontade que deseja uma coisa, quando você não se curva ao desejo daquele que pede outra coisa?

Eu - penso quão poderosa obediência à vontade dele está no coração de Deus - eu não o remi com nenhum ato meu. Eu poderia ter feito isso porque eu era Deus como o Pai, e tudo é possível para Deus. Portanto, eu seria capaz de apagar a culpa do mundo com uma palavra, assim como apaguei a enfermidade, o pecado e a morte dos indivíduos. Mas, para ensinar o homem a se tornar filho de Deus, eu, Deus que se tornou homem, eu quis redimir pela obediência à vontade de Deus e considerar que obediência era minha! Quando eu o consumi totalmente, o Céu se abriu sobre o homem caído e o perdão saiu.

A desobediência deserdou o homem, a obediência o tornou herdeiro de Deus.Tudo o que é eterno e infinito foi seu novamente por obediência.

Portanto, aprenda a maneira de ser ouvido: "Faça a vontade de Deus por amor a Ele".
Vá em paz.

Pode interessar