Sales

Amizade

Amizade

A amizade é o amor mais perigoso, outro amor amigo, baseia-se essencialmente na sua própria comunicação. Normalmente, é impossível que a amizade não faça parte das qualidades do amado.

São Francisco de Sales

Nem todo amor é amizade. Você pode amar sem ser amado; caso em que não é amor, nem amizade, porque a amizade é um amor correspondido. Se isso não é recíproco não é amizade. Não é suficiente que exista o amor: deve-se conhecer. Se você não sabe disso, terá todo o teu amor, e haverá amizade.

Além disso, amando uns aos outros, com uma boa base comum de sua amizade. A amizade é diferente de acordo com as diferentes formas de comunicação e formas de comunicação diferem de acordo com os bens que são objetos da troca: se ela é falsa, no conteúdo, a amizade é vã; quando concreta, a amizade é verdadeira; melhor propriamente dito, e melhor a amizade. Na verdade, da mesma forma que o mel coletado dos botões das mais lindas flores é melhor, assim o amor fundado sobre a troca de uma requintada propriedade é excelente.

Existe em Eraclea Pontus uma espécie de mel venenoso, torna loucos aqueles que comem. É venenoso porque ele é coletado a partir da planta acônito, presente em abundância na região. O mesmo é a amizade fundada sobre o bem comum no vazio no viciado: totalmente falso e mau. A troca de prazeres carnais é simplesmente uma atração mútua uma atração bestial que, entre os homens, não merece o nome da amizade; palavra que o resto de vocês nem sequer sonha usar quando se referem à mesma relação entre burros e cavalos; no caso de trocas matrimoniais reduzidos a isso, não é possível qualquer amizade; quando há uma troca da vida, dos afetos tem-se a lealdade inquebrável, razão pela qual a amizade no casamento é verdadeira e santa.

A amizade fundada sobre a troca do prazer dos sentidos é grosseira e não merece o nome de amizade; assim também fundada nas virtudes frívolas e desnecessárias, porque são virtudes aliadas aos sentidos. Diga o nome dos prazeres sensuais para aqueles que estão ligados diretamente a principal forma dos sentidos da beleza, na voz doce, sensível ao toque e assim por diante.

Dê o nome de frivolidade a certas habilidades e qualidades inúteis que mentes fracas chamam de virtudes e perfeições. Ouça o que dizem na maioria meninas, mulheres e homens jovens em geral: não vão hesitar dizer que Tom é muito virtuoso, nas muitas perfeições, porque dança bem, sabe habilmente manipular os jogos, sabe como se vestir com bom gosto, canta bem, tem uma conversa brilhante, parece bom. Considera-se o melhor na arte de fazer todas as coisas.

Tudo isso diz respeito aos sentidos, razão pelas quais as amizades têm estas funções são chamadas sensuais, vãs e frívolas, e merecem mais do que ser chamado de loucas amizades.

Deste tipo são geralmente as amizades dos jovens em relação ao bigode, o cabelo, o olhar, as roupas, a auto importância, o gabarito. As características etárias dos amantes, que têm pouca virtude sólida, como as sensações imaturas em relação ao que sabem. Estas amizades são apenas transitórias e vão derreter como neve ao sol.

Mais virtudes percebidas, amizades mais perfeitas. Se a troca ocorre nas ciências, sua amizade será, sem dúvida, muito louvável; ainda mais se o campo é o das virtudes como a prudência, discrição, fortaleza e justiça. Se essa troca está no lugar, no campo da caridade, da devoção, da perfeição cristã, então sim, será amizade perfeita. Vai ser ótimo, porque vem de Deus, excelente porque vai para Deus, excelente, porque a sua ligação é de Deus, grande como eterna em Deus.

é bom amar na terra como se ama no céu, e aprendendo a amar um ao outro neste mundo como no céu. Não estou falando aqui do simples amor caridoso, que devemos ter para com todos os homens; Falo da amizade espiritual, no qual, dois, três ou mais pessoas interagem, nos afetos espirituais, e realmente tornar-se um só espírito. Justamente almas felizes que cantam: Como é bom e agradável que os irmãos vivam juntos. E é verdade, porque o delicioso bálsamo da devoção é derramado de um coração a outro em comunicação ininterrupta, de modo que realmente diz que Deus derramou bênçãos na sua vida amorosa para sempre.

Parece-me que todas as outras amizades são apenas fantasmas em relação a isto de seus vis laços anelados, comparando a ligação devocional que é toda de ouro. Não faça amigos de outro tipo; dos dependentes. Não caia ou despreze funções naturais advindas que exigem entretenimento: tais como aqueles com parentes, colegas, benfeitores, vizinhos e outros; Repito, digo aqueles que escolhe livremente.

Pode ser que alguém lhe diga que você não têm qualquer tipo de afeição especial ou amizade, do coração, distraído, dá original inveja; mas estão errados. Nos escritos de muitos santos e autores devotos, disseram que determinadas amizades e afeições desordenadas são muito prejudiciais para os religiosos; pensam que a regra se aplica a todos, mas nesta não haveria muito a dizer.

Para aqueles que vivem entre as pessoas do mundo e abraçam a verdadeira virtude, forja-se uma aliança santa na amizade mútua; Na verdade, é atrevimento deles, não há versão para esta viagem.

Para aqueles que andam no plano não é preciso ajuda, em uma condição austera necessita-se de suporte para caminhar com mais segurança. O religioso não precisa de amizades intimas, mas as pessoas que vivem no mundo, sim, da-se apoio e ajuda uns aos outros nas passagens perigosas que enfrentam. No mundo, nem todos têm o mesmo objetivo, nem todos têm o mesmo espírito; Então, nós temos que pensar e fazer amigos de acordo com o plano; essa peculiaridade realmente cria um viés, mas é uma parcialidade santa que não cria divisões, para o bem ou mal, as ovelhas dos cabritos, abelhas das vespas, desta maneira.

Não há dúvida, e ninguém sonharia em negar, que Nosso Senhor abrigava mais zelo amigável por João, Lázaro, Marta, Maria Madalena; diz a Escritura. Sabemos que São Pedro tinha uma predileção por Marco e Santa Petronília; São Paulo a São Timóteo e Santa Tecla. São Gregório gloriava-se da amizade que ele tinha por St. Basil, e descreve-o assim: "Tivemos a impressão que entre nós havia uma alma dividida. Não devemos dar crédito àqueles que dizem que tudo está em tudo, mas é verdade que estamos em todos e cada um no outro, cultivando programas virtuosos ordeiros da nossa vida futura; este é o caminho para sair desta terra mortal, antes de morrer".

Santo Agostinho diz que Ambrósio gostava muito de S. Monica, por virtudes raras admirava nela, e ela o amava como um anjo de Deus.

Estou errado em fazer você perder tempo com algo tão claro. São Jerônimo, Santo Agostinho, São Gregório, São Bernardo e todos os grandes servos de Deus tiveram amizades pessoais, sem prejuízo da sua perfeição. São Paulo culpava os gentios da desordem moral da vida, acusava-os de serem pessoas sem afeto, ou pessoas incapazes de amizade. São Thomas, como todos os bons filósofos, diz que a amizade é uma virtude: certamente fala da amizade pessoal porque, diz ele, a verdadeira amizade não pode se estender para muitas pessoas. Perfeição, portanto, não consiste em não ter nenhum amigo, mas cultivar uma boa, santa e bela amizade.

Cuidado, Philothea: Quero avisá-la que não corre perigo. Eu não sei se sabe que o mel de Heraclea, é muito venenoso, parece mel incrivelmente comum; e o perigo de tomar um para o outro é real, bem como a misturá-los: caso em que o engodo é ainda pior, porque o bem de qualidade de um não é o efeito tóxico do outro.

Devemos ter cuidado para não nos enganarmos com amizades, especialmente quando elas existem entre pessoas de diferentes sexos, não importa por que motivo; Satanás muitas vezes oculta-se naqueles que ama. Começa sempre por amor virtuoso, sabiamente, se arrasta em amor breve e frívolo, então se move em amor sensual, em seguida, carnal; o perigo existe mesmo no amor espiritual, se não for cuidadoso; embora isso seja muito mais difícil e confuso de mal-entendidos, claramente insinuado por Satanás, porque o diabo quando ele tenta, faz as coisas com maior delicadeza e tenta mostrar sua aparência de forma quase imperceptível.

Vai manchar a amizade do mundo santo e virtuoso, como o mel de Heraclea que se distingue do outro: o mel de Heraclea é mais doce ao paladar do mel ordinário; acônito mais doce; o mesmo acontece com a amizade mundana normalmente produzindo enormes quantidades de palavras melosas, uma chuva louvável apaixonada da beleza, graça e qualidades sensuais: A amizade saudável, em vez tem uma linguagem simples e direta, apenas elogios poder e graça de Deus, desde a sua fundação.

O mel de Heraclea uma vez ingerido causa tonturas; semelhante à amizade fútil provoca desorientação do espírito que tornam incerta a pessoa casta e devota. Levam através dos olhos lânguidos, lunático, insistente; a carícias sensuais, suspiros e mal-entendidos, pequenas queixas de não ser amado o suficiente; truques bem disfarçados, hábil e cativante: galhardia, beijos abusos e de outra liberdade e familiaridade que leva à vulgaridade e tenho certeza prenúncio de uma rendição iminente de honestidade.

A santa amizade, no entanto, tem olhos simples e castos; atos de bondade controlados e inofensivos; os suspiros serão para o céu, liberdades únicas para o espírito, o lamento só será porque Deus não é amado o suficiente, teste infalível da honestidade.

O mel de Heraclea perturba a vista; a amizade mundana perturba os sentidos, de modo que aqueles que são afetados pensam em fazer o bem, enquanto agem mal, e estão convencidos de que suas desculpas, suas pretensões, e suas palavras são razões válidas. Temem a luz e o não amor. A santa amizade em vez disso tem olhos brilhantes e não se esconde, a verdade vê de bom grado o povo e o bem.

Finalmente, o mel de Heraclea deixa um forte sabor amargo na boca: a mesma coisa acontece nas falsas amizades que transformam e acabam em palavras carnais e abjetas; na recusa, explodem em insultos, calúnias, decepções, tristezas, confissões e ciúmes que terminam quase sempre em histeria; a amizade pura é sempre igual na honestidade, educada e amável, e só se transforma em uma união dos espíritos mais puros e perfeitos, imagem viva feliz da amizade que reina no céu.

Diz São Gregório Nazianzeno que o pavão mostra e abre sua cauda, para nortear sua superioridade e, emocionar as fêmeas, na lubricidade. Da mesma forma, quando você vê um homem superior na abordagem vibrando, a sussurrar, regateando nas orelhas da mulher madura ou da jovem, com a intenção de casamento, bem, é certo que é apenas para tentar alguma imodéstia; a mulher honrada fechara os ouvidos para não ouvir o apelo do pavão e da voz do laçador que quer seduzi-la; se você ouvir isso será o começo da perda do coração.

Quando jovens com gestos, afetações, e carícias, dizem palavras que não escutam dos seus pais, mães, maridos, esposas ou confessores, assim, demonstra que estão lidando com apenas honra e consciência.

Maria ficou perturbada ao ver o anjo sob o disfarce de um homem, porque ela estava sozinha e ele a elogiava com grande solenidade: não vamos esquecer que eram louvores celestiais! O Salvador do mundo! A pureza teme um anjo em forma humana; porque a nossa pureza não deve temer um homem, ainda que sob o disfarce de Anjo, quando tece elogios sensuais ou, pelo menos, humana?

Mas o que fazer para combater os casos de amor fúteis, estranhos, a loucura, a feiura que eu mencionei? Assim que você sentir os primeiros sintomas, mude imediatamente para o outro lado e, ao rejeitar os termos mais fortes da estupidez geridos pela Cruz do Salvador, pega sua coroa de espinhos e cinge seu coração para que essas pequenas raposas não se aproximem.

é muito bem cuidado o acordo com o inimigo: Ouço, mas então eu não vou fazer qualquer coisa que escuto; Eu escuto, mas não no coração. Philothea, em tais circunstâncias, seja intransigente: o coração e os ouvidos estão conectados, e é impossível parar um riacho que desce da montanha para o vale, por isso, é difícil impedir de escutar com o coração.

As cabras respiram percebendo o ar e não pelas narinas; Aristóteles nega; Eu não sei nada, mas eu certamente sei escutar meu coração, e uma vez que inspira e expira seus pensamentos por meio da linguagem, nem mesmo percebo, por meio do qual sei os pensamentos dos outros. Então escrupulosamente protegemos nossos ouvidos a partir de uma súbita rajada de palavras inúteis; se logo de outra forma nosso coração se infectar.

Sob nenhum pretexto devem-se ouvir propostas obscenas de qualquer tipo: este é o único caso em que você não corre o perigo de ser incivilizado e rude. Lembre-se que você dedicou seu coração a Deus, deu-lhe o seu amor, e seria um sacrilégio até mesmo uma migalha sortílega única; renova a sua oferta de mil intenções e promessas e fica nelas como um cervo em seu abrigo e, em seguida, invoca a Deus que virá para o seu resgate. Leva o seu amor sob a sua proteção, vivendo apenas nele e se já tropeçou nas redes desses amores fúteis, então me sinto obrigado a dizer-lhe que será difícil livrar-se. Coloque-se na presença da Majestade divina, reconheça a enormidade de sua miséria, sua fraqueza, sua vaidade; em seguida, com o máximo de compromisso que é capaz, deteste estes amores iniciados, nege o evento sinta a bobagem que fez a renuncie todas as fórmulas e as promessas, com uma vontade forte e resoluta, decida em seu coração e resolva nunca começar esses jogos e os confrontos do amor.

E se pode fisicamente ficar longe da pessoa envolvida, concorde, porque, da mesma forma que têm foi picado por uma cobra, não podem facilmente se curar na presença de quem já foi picado uma vez, a pessoa ferida com amor dificilmente será capaz de recuperar-se da paixão, até que esteja perto do ferimento.

A mudança de lugar é muito útil para acalmar a febre da tremenda dor que é causada por um amor. O menino mencionado por Santo Ambrósio no Livro II da Penitência volta de uma longa viagem completamente curada de amores fúteis de antes; o amante insensato, junto, disse: Eu não sei? São sempre os mesmos! Sim, claro, a resposta, mas eu não tenho sido o mesmo. A distância tinha trabalhado nele mudanças felizes.

Mas quem não pode fugir? Deve cortar conversas, reuniões secretas, olhos lânguidos, sorrisos e, geralmente, todos os intercâmbios e insinuações que alimentam este fogo malcheiroso e sujo. E se as circunstâncias o exigirem que fale na cumplicidade, devem ser declarados, corajosamente, pequenos e sérios protestos, no divórcio final que juramos. Choro em voz alta por pessoas que tenha caíram nessas armadilhas apaixonadas,truncadas. Não perca tempo discutindo amizades fúteis; Não deve perder tempo em desatar os nós; Temos que quebrá-las corta-las; Títulos não têm valor.

Não devemos ter respeito por um amor que é contrário ao amor de Deus. Mas, tendo assim rompido as correntes que a escravidão infame, arrastou as pessoas. As marcas registradas a ferro e as feridas permanecerão gravadas em seus pés, os afetos. Não faz nada, Philothea, se já concebeu todo o horror que merece; se fizer isso não será incomodado pela ansiedade; Vai experimentar apenas um horror de amor infame forte e tudo ligado a ele. Estará livre de qualquer outra afeição e pessoa que largou; Só continuará a ser de Deus.

Se, por causa da imperfeição e arrependimento, permanecer em vós alguma má inclinação, procura para sua alma a solidão mental, como eu vos ensinei, e retira com toda a tua força, e com todo teu espirito, renuncie suas inclinações, renega-lhe todo seu poder; leia livros dos santos, confessa com mais frequência, com humildade e sinceridade fale sobre todas essas sugestões e tentações ao seu confessor, se puder; ou pelo menos tenha uma atitude de fé e prudência; Certo é que o Senhor te livrará de todas as paixões, se fizer estes exercícios fielmente.

Mas, diga-me, não é tão drástico e ingrato romper uma amizade? Digo-vos: como é bonita a atitude assim aceitável a Deus! Philothea, não seja ingrata, nos méritos em favor de seu amante; porque, quebrando suas obrigações, também se quebrará; e se, no momento, não apreciar a sua felicidade, cantará em ação de graças: O Senhor, tu quebraste as minhas cadeias, vou sacrificar uma vítima em louvor e clamarei o teu santo nome.

A Amizade requer uma intensa troca entre aqueles que se amam: caso contrário não nasce, e muito menos existe. É por isso que muitas vezes acontece no mercado na base da amizade, agravando-se e se arrastando imperceptivelmente de coração para coração: e assim os afetos, as tendências e opiniões passam continuamente de um para outro.

Esta afeição especialmente quando vier estimada; Neste caso, abre-se ao amigo o coração para que, facilmente saibamos de suas tendências e sua opinião não importa se são bons ou maus. As abelhas que coletam o mel de Heraclea procuram apenas mel, mas também sugam as qualidades venenosas.

A este respeito, Philothea, coloque em prática a palavra do Salvador de nossas almas de que falamos, e que os antigos nos ensinaram: Seja umcobrador proficiente, colete um bom dinheiro; ou seja, não aceite dinheiro falsificado, nem o de ouro baixo; separe o metal precioso do vil. Agora atenção, porque ninguém está livre de imperfeições.

E que razão há para receber defeitos da multidão e imperfeições de seu amigo, juntamente com a sua amizade? É claro que devemos amá-lo apesar de suas imperfeições, mas não levar as suas imperfeições sobre nós; Amizade exige que nós nos comuniquemos bem, e não mal.

à semelhança de quem está descascando o cascalho de Taro e separando o ouro que está a levá-lo embora, deixando o resto na margem do rio, aqueles que se comunicam com o amigo deve ser capaz de separar a areia das imperfeições e não deixá-lo penetrar nas suas almas.

São Gregório Nazianzeno diz-nos que muitos dos que amava e admirava e São Basil foram assim trazidos para a sua imitação, que também imitando as suas imperfeições exteriores, na sua maneira de falar devagar e cuidadosamente com o espírito e intenção, cortando a barba e a maneira de andar. Vemos maridos, esposas, filhos, amigos, que têm muito respeito por seus amigos, seus pais, seus maridos, suas mulheres, por condescendência ou imitação, na amizade, está mil pequenas e más tendências.

Isso não deve acontecer: todo mundo já teve o suficiente de suas próprias falhas sem a necessidade de também ser cobrado dos outros; Acrescento que a amizade não só não exige isso, mas, pelo contrário, obriga-nos a nos dar as mãos para nos livrar de todas as formas de imperfeição. E se há dúvida de falar gentilmente de seu amigo e de suas imperfeições, não encoraje nele, muito menos se deve transferir a nós.

Fale apenas de imperfeições; relativo ao pecado dele não aceite e suporte seu amigo. Com Deus ajude-o, é fraco e pobre; ver um amigo que morre de um abcesso e não ter a coragem usar o bisturi para salvá-lo, não é amizade.

A verdadeira amizade e a vida não sobrevivem entre os pecados. Diz-se que onde se situa a salamandra apaga-se o fogo; o pecado destrói a amizade em que se esconde: se é um pecado passageiro coloca-lo imediatamente em correção; mas se houver, e não corrigir, a amizade pereça imediatamente, porque pode viver da necessidade da virtude; A partir daqui, é muito claro que não é possível o pecado e a amizade.

O amigo se torna um inimigo quando ele quer nos levar ao pecado e merece perder a amizade, se quer levar o amigo para a ruína e perdição; uma das provas mais sólidas da falsa amizade é vê-la praticada entre pessoas cruéis, qualquer tipo de pecado em comum. Se aqueles a quem amamos está preso ao vício, nossa amizade é definitivamente viciada; uma vez que não podemos ter a base para uma virtude sólida e sincera, é claro que é baseada em uma aparente virtude ou algum aspecto sensual.

Uma empresa formada entre comerciantes para o lucro temporal tem apenas a aparência de verdadeira amizade. Não tem o amor das pessoas, mas o amor ao dinheiro.

Finalmente, aqui estão duas máximas, pilares fundamentais da vida cristã; O Sábio: Que teme a Deus encontrará uma boa amizade; o outro é de S. Giacomo: A amizade do mundo é inimiga de Deus.

Pode interessar-te