Sedutor

#

Tentações

A nossa historia teve finalmente uma resposta por parte de Deus que mandou seu Filho, o Verbo que se fez carne e veio morar entre nós.

Assim estamos seguros de sermos resgatados daquela historia que foi sempre obra de Satanâs.

Cuidados com as tentações

Qual é a porta que o diabo pode usar para entrar na nossa historia? É o nosso coração. Devemos estar sobretudo atentos para os sinais da nossa inteligência depravada e à nossa incapacidade para compreender a mentira no lugar da verdade. Os sinais são relações que revelam quanto somos guiados e dominados da presença de Satanâs.

Não devemos desprezar as coisas que muitas vezes deixamos correr, não são absolutamente da desprezar: muitas vezes não vamos ver se um homem é soberbo, ultrajante, invejoso, maldizente. Mesmo que essas coisas não sejam mais tanto consideradas é daqui que podemos partir, para notar a mudança.

São Paulo, de fato, na carta aos Gâlatas, depois de ter falado aos romanos da vinda de Jesus, que é a resposta à humanidade que pede a libertação, escreve: "Pronto, Jesus agora estâ morto, mas vocês receberam o espírito de Jesus, portanto em vós age o Seu espírito ... então vocês devem dar sinais através a vossa historia, que isso é realidade.".

O Espírito de Jesus não é um suave vento que passa no nosso coração e vocês dizem: "Ó, que bonito ter dentro de nós o Espírito de Jesus! e então tudo parou lâ. Não, o espírito de Jesus deve transformar-se em historia.

Paulo diz aos Gâlatas: "Caminhem segundo Jesus, não sereis levados a satisfazer o espírito da carne, de fato, a carne tem desejos contrârios ao espírito porque essas coisas se opõem entre si, assim vocês não farão mais aquilo que gostariam de ser ou fazer, mas serão guiados.

Se vocês se deixam guiar pelo espírito não serão mais escravos da carne e as obras da carne são bem conhecidas: idolatrias, magias, fornicação, libertinagem, inimizades, discórdias, divisões, ciúmes, invejas, bebedeiras, orgias e outras mais.

A carne gera essas coisas e nós somos dominados por esse espírito, ou seja, do eu que é guiado pelo demónio.

Nos fomos chamados a combater o demónio que muito nos provoca e nos coloca em condições de poder lutar dentro de nós. A luta não é pecado, é um empurro que nos fortalece na nossa adesão à Jesus. A luta é um privilegio porque significa que em nós estâ a vontade de estar ao lado do Senhor.

A verdadeira luta contra o demónio nos coloca para dentro a força, a joia, porque sentimos em nó o espírito do Senhor e nós acreditamos e lutamos, somos contentes porque confiantes da presença de Jesus dentro de nós e no coração sentimos a força e a liberdade.

Essas tentações que Jesus recebe são falsas imagens de homens que, em todo o tempo, sugerem a consciência sob aparências de propostas convenientes e eficazes, até sob aparência de propostas boas mas no núcleo hâ sempre uma instrumentalização. Deus, para os próprios fins, dâ mais importância ao sucesso da vitoria pelo combate que aos bens materiais recebidos.

Pode interessar