Pecado e moralidade

Pecado e moralidade

Pecado e moralidade
Sites a visitar
Mosteiro invisível
Grupo de Oração e Intercessão.
Virgem Maria
Um convite Irresistível.
São José
A grande Patriarca.
São Bento
Contra doenças e maldições
Inferno
A terrível realidade.
Purgatório
Irmãos que estenderão suas mãos.
Paradíso
Viver no Céu.
Amor e Paixão
A Paixão de Cristo
Meditações
A respiração da alma.
Os Anjos
Seres que ardem de amor.
Santuário de Oropa
O coração de Maria
Viagem interior
um caminho que se abre através da psiche.
Milagres Eucarísticos
As Ostias se transformam em carne.
Aparições marianas
Maria segue a humanidade.
Decálogo
Os dez comandamentos.
  italiano español english português   


POR ONDE COMEÇAR

Tudo começa quando surge em nós a reflexão: "Necessito de colocar-me em ordem!" Advertimos que tem um qualquer coisa de desordem que nos turba, mas frequentemente não sabemos nem do que se trata. Porém sabemos que devemos colocar ordem antes que seja tarde demais.

Por onde começar? Da inteligencia, da mente, do cérebro, ecc. Sabemos também que não podemos querer uma coisa se antes não a conhecemos. E como podemos agir se não temos um fim a alcançar?

Sabemos também que cada pessoa é composta por dois elementos essenciais: a alma e o corpo. O corpo liga o homem às leis biológicas, enquanto a alma o leva a transceder o mundo material para viver uma vida superior que pode seguir até a Deus.

Outras considerações introdutivas sobre a desordem que há sete raizes, são:
  1. A SOBERBA. Opinião exagerada de si que leva ao disprezo, ao destaque, ao isolamento dos outros.
  2. A AVAREZA. Um apego doentio aos bens materiais que leva à escolhas egoísticas.
  3. A LUXÚRIA. Uso desordenado do sexo que conduz à disgregação das pessoas, da familia e da sociedade.
  4. A IRA. Explosão repentina e violenta do animo que trás ofesa e danos aos outros.
  5. A GULA. Uso desordenado dos alimentos que danifica a saúde física e psíquica.
  6. A INVEJA. Astio para com pessoas que achamos que são mais fortunadas e que quebra as relações interpessoais.
  7. 7. L’ACÍDIA. Apatia para com qualquer empenho que faz cair no ócio e na inatividade
A única possibilidade de equilíbrio, como se verá detalhadamente a seguir, é o nível sobrenatural, pois Deus disse que se quisermos:
  • Exister.
  • Crescer.
  • Realizar-nos.
  • Curar-nos.
  • Sermos felizes.
Não existem outras regras se não os "Dez Comandamentos". Dez regras que se resumem em uma somente regra que é: o Amor.

Vimos o que é a desordem, agora devemos compreender o que é o pecado. O pecado é por assim dizer, a negação de seguir o próprio bem, é uma conduta ilícita que contrasta com os princípios morais. Princípios que são imprimidos na consciência moral de cada pessoa que porém vai seguida de uma certa forma e transformada em verdadeira.

O conceito de pecado hoje em dia, pressionado pelo relativismo moral e por uma ética laical, si é praticamente dissolvido. A ética religiosa, apoiada sobre a palavra de Deus e sobre as beatitudes, é considerada come um impedimento a alcançar o prazer físico, o sucesso, o haver para possuir. Assim a única e importante realidade da vida, o princípio e o fim da existência, é o Eu.

De consequência se enraizaram e se espalharam; egoismo, ruindade, injustiças, infelicidade, domínios. Males que tomaram lugar aos sentimentos da alma que eram: amor, bem, compreensão, caridade; fonte de felicidade e crescimento interior.

O pecado, na Bíblia, é estreitamente ligado à lei de Deus, e é então um comportamento de desobediência se não de transgressão que nasce do coração do homem. Não somente é uma transgressão de ordem moral, mas a interrupção da relação pessoal com Deus, porque existe um traimento da confiança que Ele colocou em nós.

Em 1822, Deus concedeu a Santo Curado d’Ars de ter uma clara visão das suas misérias. Ficou tão amedrontado que suplicou ao Onipotente de difundir uma luz menos viva sobre a sua alma, com medo de ter pensamentos de desesperação. Um dia dirá ao barão Belvey: "Não pedir a Deus o conhecimento completo das vossas misérias, eu a pedi uma vez e a obtivi, se Deus não me tivesse ajudado, naquele momento mesmo teria precipitado na desesperação".

Eis porque recuperar a percepção do pecado, não é um luxo a conceder ao intelecto para uma especulação do pensamento, mas uma exigência essencial para recuperar a estrada do verdadeiro bem e correr arrependidos, como o filho pródigo, encontro ao Pai.

Este esplendido itinerário se pode percorrer depois de um humilde ato de consciência, um sincero arrependimento e conseguente reconciliação, necessários para obter aquele hábito limpo que doa a alegria perfeita.

Esfolhiando as páginas seguintes poderás conhecer tudo sobre o pecado, sobre a moral, sobre a confissão ou reconciliação. Como os Santos Padres da Igreja enfrentaram e venceram o pecado como as desordens morais e obtido aquele premio que durará na beatitude eterna...

  Santos e Bem-aventurados:
Santa Teresa de LisieuxSanta Rita de Cássia
Santa LuziaSanta Gemma Galgani
São Antônio GalvãoSanta Elisabeth
Informes:  monasteryinvisible@gmail.com  Número de visitas:visitas  
Pecado y moralidad - Todos los derechos reservados