Oração

#

Reza

A oração é o meio pelo qual o homem coloca em comunhão o seu Deus a sua fala recebendo dele a sua mensagem. É o mais extraordinário, a mais nobre, a mais fantástica de todas as ações que o Ser humano pode realizar.

O potência da oração

A oração não é apenas palavra, mas também silêncio, durante o qual é permitido que Deus fale com o homem. Ela é feita de gestos, atitudes, especialmente do sofrimento e da reflexão sobre a palavra de Deus.

Deus não ordena impossibilidades, aconselha-nos a fazer o que pudermos com a nossa própria força, e Ele nos dá a ajuda necessária para pedir. Aqueles que oram são certamente salvos; quem não reza certamente condena-se. O mesmo o é com o nosso Salvador que nos inspira ir a ele com a promessa de conceder a nós os nossos pedidos. "Peça o que quiser, e recebereis" (Jo 15: 7). O próprio Jesus Cristo no Evangelho nos exorta: "Pedi e recebereis, para procurar e encontrar, bater e ela deverão ser abertos".
(Lc 11,9).

É suficiente simplesmente "pedir"; enquanto acrescenta na busca o "olhar"? E, então, "bater"? O Salvador nos diz que devemos agir assim como os pobres agem, que recebem por insistência a mendicidade. O Senhor deseja que também sigamos o seu exemplo, orando insistentemente.

A oração é coisa sublime, deve ser um exercício constante em toda a nossa vida. Devemos sempre pedir a graça de continuar orando em nosso futuro, se cessarmos de orar, estaremos perdidos. Orar é coisa fácil, a saber, por exemplo: "Senhor, me ajude"; "Senhor, ajuda-me"; "Senhor, dá-me seu amor" e assim por diante. Não é difícil é coisa simples?

Muitos se queixam que Deus não atende a seus pedidos a seus desejos. Oram, mas não oram como deveriam; portanto, nada obtendo: "Pedem e não conseguem, porque pedem mal, satisfazem apenas suas paixões" (Tiago 4.3). A oração deve ser humilde. Uma passagem nas Sagradas Escrituras, também informa o Apóstolo Tiago que diz: "Deus resiste aos soberbos, aos humildes dá a sua graça" (Tiago 4.6). A oração de uma alma humilde penetra os céus e de lá não parte, sem ir à exaustão, não deixando Deus sem a sua resposta. "Tudo o que pedirdes na oração, crede que também terá e receberá".
(Mc 11,24).

Muitas vezes, a mente repete as palavras suprimidas da oração, mas o foco está em outra parte é capturado por outros pensamentos. Na pronúncia mental nas palavras de hábito, existe uma atenção que segue ao longe a presença de Deus. Permanecendo a alma desorientada e fria, porque perde o foco em devaneios, vagueia entre objetos que os pega de surpresa, ou deliberadamente tenta reativa-los vagueando. Quando a alma que reza assim perde a harmonia, quando o homem que ora assim perde totalmente a presença naquele a quem dirige a sua oração, pensam que é causa de alegria? Como pode ter alegria o coração Orante, se sua oração é apenas aparência? Apenas os corações daqueles que buscam verdadeiramente o Senhor podem ter alegria.

A oração invoca poderes sensoriais espalhados entre paixões, e revive poderes da alma. Porque por meio das virtudes, erradica a feiura do pecado que a alma reproduz na beleza que contém os traços divinos, através do conhecimento de si mesma.

Ore com fervor tenaz imitando aquela viú;va, que importunada de um juízo implacável, recebe as forças de sua plena misericórdia. Sa a sua oração praticada através da mente, no silêncio da contemplação, o Senhor revelará a realidade maravilhosa invisível do céu. Meditando sobre Deus encontrará neste fervor os seus favores.

A oração faz a mente procurar a essência no divino com toda a força de seu peso e do seu amor, sem os pequenos desejos da carne, de seu fascínio, sem as atrações e prazeres temporais sensíveis às belezas da terra, a alma é absorvida na contemplação na beleza de Cristo, e permanece lá com pureza de espírito. Deus, amado e invocado Então, acolhe a linguagem da oração, dando a alma que reza uma alegria inexprimível.

A mente livre de fantasias, não enfrentando memórias, ou traços de experiências carnais, encontra na mais pura simplicidade, neste estado elevado sensível e inteligível, une-se a seus pensamentos, diretamente a Deus. Do fundo do coração, irrompe como um grito, o nome do Senhor. A mente, na forma de suas virtudes, entra em outra vida através do conhecimento e do amor a Deus e, de acordo com este amor, se torna sabedoria frutífera aonde lhe é revelado segredos maravilhosos.

Pode interessar