II Livro

Abrirei uma estrada no deserto

Abrirei uma estrada no deserto

Ao lado de livros muito liberais em termos de ortodoxia católica que algumas editoras católicas, de comprovada lealdade, não se fazem escrúpulo para publicar sem qualquer "imprimatur", são bem-vindas estas publicações irrepreensível na ortodoxia, que possam contribuir para o surgimento da mentalidade não sectária e verdadeiramente Católica.

Revisão de José

O Senhor escutou o incessante clamor dos pobres de todo o mundo e envia o seu espírito para os quatro cantos do universo o Seu Espírito a "vivificar os corações abatidos, a curar suas feridas". Para realizar este desenho planetário, o Espírito usa todos os recursos de sua originalidade e imprevisibilidade, como o vento se enfia em todos os lugares e provoca novas carismas e multiplicá-los o inverosímil, colhendo todos os aberturas permitidas pela unidade da humanidade que confiam nele.

Outro aspecto muito interessante do livro é a correspondência teológica entre as intuições "carismático" e aquisições da moderna teológica dogmática tanto que espiritual.

Definitivamente uma obra-prima são as páginas maravilhosas que se relacionam com a história da Paixão, seja na visualização as cenas dramáticas, come na explicitação afectivo e espiritual, que ajudam una aprofundamento verdadeiramente excepcional do mistério do sofrimento de Deus e do profundo significado de libertação do pecado.

Sem dúvida, neste livro, um sabor único de libertação e alegria como se as palavras lidas têm o poder de penetrar e conduzir para a verdade de si mesmo e seu presente, como se alguém te tomou pela mão, te iluminasse e te encosta ao seu coração e com alegria diz-lhe as suas batidas, seu calor, seu amor transformador.

Revisão de Daniela

Tentei compenetrar-me na paixão de Cristo através de sua mãe Maria, esta mulher excepcional, imaculada, o primeiro ponto para começa que com o seu SIM a permitiu pode ser realizado o mistério divino. Os estágios da crucificação foram muito comovente, eu chorámos lágrimas de sofrimento por todo o mal inimaginável sofrido e lágrimas de alegria para a inimaginável misericórdia e bondade. A questão que surgiu é esta: Se pessoas comuns sofrem muito quando são abandonados da uma pessoa querida, quanto teve que sofrer para ser abandonada por todos? Eu acho que o sofrimento é a única estrada que leva ao amor.

Recensione di Rosa

A leitura deste volume abre uma estrada no deserto do nosso coração.

Têem descrições tão reais que me comoveram e enriqueceram seja interiormente, seja mentalmente. Quanto de nós invocam a Mãe Celeste sem conhece-la! Conhecemos a história da sua vida como um drama de um romance, mas não a beleza da sua essência. Nestas páginas, Ela se mostra em toda a sua Grandeza e Bondade. Nos exorta dolcemente a agir sem medo. Nos assegura do seu imenso amor e da sua ajuda que nunca faltará. Nos conta a sua vida quotidiana feita de alegrias, renúncias, sacrifícios e ansias para o seu doce Filho. Ela é a Mãe que aos pés da cruz viveu uma imensa dor pelo seu Filho inocente imolado sobre o patíbulo.

Eis, pronunciar a doce palavra "Mãe" enche de amor o coração. Invoca-la se torna verdadeiramente uma oração que da peso e sentido às palavras. Sim, Nela temos uma Aliada que nos segue no nosso caminho e intercede por nós ao Altissimo.

A narração da Crucificação é tão realística que cada gesto é uma ponta no coração. Não é possível ficar com o coração árido depois de ter lido e meditado estas maravilhosas páginas. Tive momentos de raiva, uma raiva sã pensando que ainda hoje eu o crucifixo com o meu medo, desconfiança e pouca fé.

Agradeço os autores por terem escrito este livro porque abriram o meu coração facendo-me conhecer a Mãe Celeste. Provei emoções profundas e dolorosas que me levaram a refletir sobre a minha vida.

Vos exorto, Corrado e Enrico, a continuarem a escrever não só para mim, mas para tantas outras leitoras e leitores que desejam através do estímulo de fortes emoções e meditações, iniciarem finalmente aquele caminho espiritual que leva direttamente ao coração deJesus.

Com imensa gratidão.

Temas do Mosteiro