Juizo Universal

Juizo Universal

italiano español english português 
 
Inferno
Sites por visitar
Mosteiro invisível
Grupo de Oração e Intercessão.
Virgem Maria
Não se deve resistir ao Seu Chamado.
São José
A grandeza deste Santo é inimaginável.
São Bento
Para combater contra as doenças e os malefícios
Amor e Paixão
As etapas dolorosas da Paixão de Jesus Cristo
Meditação
O suspiro da alma.
Os Anjos
Seres de Luz que ardem de Amor Divino.
Santuário de Oropa
Aqui se encontra o Coração de Maria
O Pecado
Não só a transgressão moral.
Viagem interior
um caminho que se abre através da psiche.
Milagres Eucarísticos
As Ostias se transformam em carne.
Aparições marianas
Maria segue a humanidade.
Decálogo
Os dez comandamentos.
 
Anterior  

A ressureição dos mortos será o ato conclusivo da historia humana. No CREIO nos proclamamos que Jesus Cristo subiu aos céus e que um dia retornará "para julgar os vivos e os mortos." Jeus Cristo está à direita do Pai de onde voltará para julgar os vivos e os mortos, e, "na sua chegada todos os homens ressurgirão com os próprios corpos e deverão prestar conta de todas as suas obras. O reino de Deus recebe o senso pleno de seu cumprimento, do seu momento final, que se abre com a cena do universal juizo diante de um ùnico juiz, Cristo. São Paulo afirma que: "... nós todos deveremos comparecer diante do tribunal de Cristo para receber, cada um, a recompensa da vida mortal, segundo o que tiver feito, seja do bem ou do mal.(2Cor 5,l0).

Mateus assim nós indica: "... quando virá o filho do homen na sua majestade junto com seus anjos, então sentará no trono glorioso. Todas as pessoas se reunirão diante Dele: Ele separará uns e outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos: colocará à sua direita as ovelhas e os cabritos à sua esquerda. Então o Rei dirá para aqueles que estão à sua direita: venham, voces, benditos do meu Pai, a tomar posse do reino.... e para aqueles que estão à sua esquerda dirá: longe de mim, voces, malditos, ao fogo eterno" (Mt. 25, 31,41).

Este momento e esta cena retorna somente na naração dos Evangelistas e retorna com insistência nas cartas de São Paulo. O tema da Parusia, ou seja, a segunda vinda de Cristo no fim dos tempos é intimamente ligada com aquela do Juizo Universal, tanto que podem constituir dois (2) aspéctos de uma mesma realidade escatológica. Um eco desse estado de espirito se tem nas cartas que São Paulo escreve ao Tessalonicenses, adivirtindo-os de não se perderem em vãs questões e de "não se deixarem facilmente se perturbar com o espirito de certas conversas e das pretendidas revelações, como se o dia do Senhor fosse iminênte (2 Tess 2,2) porque do dia do juizo sabemos só uma coisa: "...que chegará como um ladrão à noite" o que importa é estar sempre preparados" (1 Tess 5,2) A espectativa do dia do Senhor, documentada pelas cartas aos Tessalonicenses, como a espera de um evento próximo, é um dos argumentos sobre o qual se funda a interpretação escatológica da Igreja.

A verdade do Juizo Universal não é somente uma realidade revelada, mas um vir ao encontro à certas necessida des da razão, porque a razão admite a conveniencia e o significado. O Juizo Universal responde à natureza social do homen porque a vida de uma pessoa singular se entrelaça de forma inevitável com aquela dos outros, assim também as obras quer sejam boas ou ruins, repercutem de maneira diversa também no ambiênte restrito ao homen. Mesmo que o juizo já tenha sido definido, a sorte do singular, entretanto,occorre que este juizo e esta sorte seja decretada e motivada diante de todos. Por isso, o dia do juizo é dito "o grande dia" (Apoc 6,1) Aquele dia será por Jesus o tempo da glorificação diante de todos os homens e para os homens será o dia da verdade e da justiça diante de Deus.

O grande día
Jesus anunciou muitas vezes este dia da sua glorificação e por ultimo no momento em que apareceu com vestes de acusado diante do Tribunal do Sinedrio, que estava para o condenar à morte: "....então o sumo sacerdote lhe disse: te peço p elo Deus vivente a dizer para nós se tu és o Cristo, o filho de Deus" Voce o disse, lhe respondeu Jesus, ainda vos digo mais "de agora em diante voces verão o filho do homen sentado à direita da potência de Deus e vir sobre as nuvens do céu." (Mt 26,64).

Cada pecador, pecando, joga a propria blasfema para Deus: "... pratiquei o pecado e que coisa me aconteceu de máu?" Na vida de muitos é como Jesus, o filho de Deus, não tivesse nunca existido e assim vivem separados de Cristo..... sem esperança e sem Deus nesse mundo...." (Ef 2,12) Outrossim, é necessário que diante de toda a humanidade o Cristo reivendique a sua gloria, porque todos deverão reconhecer, tremendo ou dando gloria, que Ele é o filho de Deus, o omnipotente, no ato mesmo do juizo enquanto será o ùnico juiz do gênero humano. O Pai não julga ningúem: todo o juizo o entregou ao filho para que todos o honrem. (Gv,5.22) Naquele dia, escreve São Paulo, quando se manifestará o Senhor Jesus do céu, com anjos potentes e fogo ardente, para punir aquele que não reconhecem Deus e aqueles que não obedecem ao Evangelho do nosso Jesus (2 Tess, l.8)

Naqule dia haverá terror para os pecadores e a consolação dos justos porque será o dia da absoluta verdade e da absoluta justiça, seja para o pecador seja para o justo aparecerão tal qual eles são. Todos verão e cada um verá, as zonas mais inacessiveis da consciência, ou seja, o lugar onde se geram as ações e recebem seu valor ètico e cada ação virá revelada com o proprio nome e com o valor que falsamente lhe atribuiu o pecador errando ou enganando os outros. Agora a crueldade não será mais chamada fortaleza, nem a soberba em dignidade, assim como a sensualidade em doçura e nem os fraco em velhacaria e nem a justiça em prepotência. Será o dia da verdade para cada um e para todos, e cada um de nós comparecerá como na realidade o é, diante de Deus, para si mesmo e para todos.

Cada um será julgado segundo suas obras, boas ou más: "...o filho do homen dará a cada um segundo suas obras" (MT 16,27) "...dará a cada um segundo suas obras". (Rm 2,6) Para nada servirão o sucesso, as honras, os cargos, as riquezas, as ciências, o poder econômico, se não tiverem realizado o bem. Qual será o resultado em relação à humana grandeza? Na hierarquia dos valores humanos? Aquele que se considerava grão aparecerá como palha e aquele que parecia palha será grão! O carnifice e o martir, o caluniador e o caluniado, o aproveitador e a vitima, o arrogante e o humilde, o malvado e o honesto encontrarão na sentença do Juiz o justo equilibrio daquela relação que tenha sido por muito tempo modificada. Quem está muito seguro de si, para aquele que deverá comparecer diante do Redentor será, pois, um Juizo? O que poderia eu dizer, miserável que sou, como desculpa? Qual o patrono que poderei in vocar para me defender?.... "naquele momento quanto será dificil o justo se sentir seguro." São Paulo, na sua primeira carta escreve: ".... se o justo, se salva com fatiga, como comparecerá o impio e o pecador?".

Com o triunfo de Jesus, haverá o triunfo dos bons: "... não terão mais fome, nem terão mais sede, não os castigará o sol e nenhum ardor, porque o Cordeiro, que está no meio do trono, será o pastor deles e os guiará para as fontes da àgua da vida. Deus, enxugará toda lagrima de seus olhos." (Apoc 7,l6-17)

 
 
  Santos e bem-aventurados:
Santa Teresa de LisieuxSanta Rita de Cássia
Santa LuziaSanta Gemma Galgani
São Antônio GalvãoSanta Elisabeth
Para informações:  monasteryinvisible@gmail.com  Número de visitas:visitas  
Infierno - Todos los dereitos reservados