Morte

José

São José

As dores de Maria, e de Jesus:

A primeira, a apresentação no templo;
A segunda, a fuga para o Egito;
A terceira, a morte de José;
A quarta, minha separação de ti.
Maria Valtorta.

MARIA NA MORTE DE JOSÉ

Sofreu terrívelmente.

Disse Jesus:

A todas as esposas que teem uma dor que as torturam, ensino a imitar Maria na sua viuvez: unir-se a Jesus.


Aqueles que pensavam que Maria amasse o esposo com um amor tépido, porque ele era esposo de espírito e não de carne, erram. Maria amava intensamente o seu José, o qual tinha dedicado 30 anos de vida fiel. José lhe foi pai, esposo, irmão, amigo, protetor.


Agora Ela se sentia sózinha como ramo de uva ao qual vem cortado da árvore que pertencia. A sua casa era como fosse pega por um raio. Se dividia. Antes era uma unidade cujos membros se ajudavam entre eles. Agora vindo a faltar o muro principal, o primeiro dos golpes dados àquela Familia, marcado do próximo abandono do seu amado Jesus.


A vontade do Eterno, que a quis esposa e Mãe, agora lhe impunha viuvez e abandono da sua Criatura. Maria disse entre as lágrimas um dos seus sublimes "Sim". "Sim, Senhor, se faça de mim segundo a tua palavra".


E para ter força naquela hora, se abraçou a mim. Sempre se entregou a Deus, Maria, nas horas mais graves da sua vida. No Templo quando foi chamada ao matrimonio, a Nazaré chamada à Maternidade e ainda a Nazaré entre lágrimas como viúva, a Nazaré no suplício do destaque do Filho, no Calvário na tortura de ver-me morrer.


Aprendeis, vós que chorais. E aprendeis vós que morreis. Aprendeis, vós, que viveis para morrer. Procurais merecer as palavras que disse a José. Serão a vossa paz na luta com a morte. Aprendeis, vós que morreis, a merecer de ter Jesus perto, para o vosso conforto. E se não tenhais merecido, ousais igualmente a chamar-me. Eu virei. As mãos cheias de graças e de conforto, o Coração cheio de perdão e de amor, os lábios cheios de palavras de absolução e de encorajamento.


A morte perde qualquer amargura se acontece nos meus braços.
Deveis acreditar. Não posso abolir a morte, mas a faço suave a quem morre confiando em Mim.

Oração

Casto esposo de Maria, glorioso São José, assim como o grande trabalho e dor em seu coração no perplexo abandono de sua noiva pura, é uma alegria inefável, quando o anjo revela a você a maravilhosa encarnação do mistério.

Para que a sua dor e sua alegria seja favorável também no conforto agora e na hora da morte, e com a nossa alma, dando-nos a serenidade de uma vida boa e uma morte santa, como a sua, que espiraste suavemente, confortado por Jesus e Maria.

Pode interessar