Aparições

#

Lourdes

Lourdes é uma localidade pitoresca no sopé dos Pirinéus, Tarbes-Lourdes assim chamada a partir do tempo de São Pio X. Em 1858 era habitada somente por 4.000 pessoas. Perto da cidade fica a Gruta de Massabielle um lugar solitário e infame. Uma menina de 14 anos muito boa, mas doente e carente, chamada Bernadette Soubirous (1844-1879) foi abençoada em 1858 por dezoito aparições da Virgem Maria.

Primeira aparição

(11 de fevereiro)

Com três irmãs e outras meninas, a vidente estava ocupada a recolher lenha nas margens do rio Gave, e ao chegar perto da gruta de Massabielle... Bernadete descreveu o encontro: "De repente, senti um barulho como um trovão. Olhei para a direita, esquerda e para as árvores ao longo da costa, mas nada se movia, eu pensei que havia me enganado, mas novamente eu ouvi um barulho parecido, Oh! Então eu fiquei com medo e me levantei. Eu não sabia o que pensar, ao virar a cabeça para a gruta, viu uma das aberturas na rocha e nela apenas uma rosa selvagem, ela se mexia como se houvesse um vento forte. Quase ao mesmo tempo em que veio do interior da gruta uma nuvem dourada, pouco depois, uma jovem e bela como eu nunca tinha visto, vestida de branco com uma listra azul, que descia o vestido e tinha uma rosa de ouro de aproximadamente 30 cm que brilhava em seu braço e usava um rosário branco, ligados por uma corrente de ouro brilhantes, como as duas rosas no pé. A senhora estava localizada na entrada da gruta acima da rosa selvagem. Ela me olhou, sorriu e acenou-me para frente, como se ela fosse minha mãe. O medo que eu tinha havia passado, mas eu senti como se mal soubesse onde estava. Eu esfreguei os olhos, mas a senhora ainda estava lá, que sorria para mim e me fez perceber que eu não estava enganada. Sem perceber que eu estava fazendo, tirou o rosário do bolso e sentou-se sobre os joelhos a Sra. aprovando com um aceno de cabeça tirou o Rosário que mantinha em seu braço direito. Quando eu quis começar o rosário e levar à mão a testa, meu braço ficou paralisado, e só depois que a senhora o fez, eu pude fazer o mesmo, a Sra. me permitiu rezar, pretendia passar as contas do rosário entre os dedo a completar a coroa, mas não falar até ao final de cada dez, a Sra. disse-me: Gloria Patri, et Filho, et Spiritu Sancto. Após o Rosário a Senhora voltou à pedra e a nuvem de ouro que desapareceram com ela".

Segunda aparição

(14 de fevereiro, domingo)

Depois do meio-dia, as crianças haviam contado a sua mãe sobre a aparição e queriam convencê-la a ir com eles até a Gruta. Bernadette queria fazer um teste com água benta, para garantir que a aparição era a obra de Deus e não do diabo. Na verdade, ela foi para lá com as irmãs e alguns amigos e trouxe uma garrafa de cerveja com água benta. Ajoelhada no local onde a aparição ocorreu, como Bernadette disse: "ao chegar lá, cada um tomou seu terço e nos sentamos sobre nossos joelhos para recitar o rosário. Eu só rezava as dez Ave Maria após ter rezado à senhora. Então eu joguei a água benta dizendo: se você vem de Deus, por favor fique e se aproxime, se não vá embora imediatamente.a Sra. se aproximou e tornou- se cada vez mais presente, principalmente ao ouvir o nome de Deus e os efeitos da água benta. Quando eu terminei de recitar o rosário ela desapareceu".
Nenhum outro vidente viu a Virgem Maria.

Terceira aparição

(18 de fevereiro)

Bernadette pela manhã, acompanhada da deputada Joan Mary Milet e Sra. Antonieta Peyret, entraram na caverna juntas e recitaram o Rosário. Quando o Rosário foi concluído, Antoinette Peyret disse a Bernadette para pedir a Senhora, se ele tinha algo a comunicar e colocá-lo por escrito. Quando a Senhora apareceu, disse a Bernadette: "O que tenho a dizer não é necessário que você coloque por escrito - Ela disse: Você me dá o prazer de vir aqui novamente por uma quinzena? E ainda não prometo fazer você feliz neste mundo, mas no outro ... "Bernadette prometeu voltar com a permissão de sua mãe. A noite deste dia, o Marechal de alojamento Cel., comandante da brigada de Lourdes, informou o fato ao tenente seu superior Bourriot, que estava em Argelès.

Quarta aparição

(19 de fevereiro)

Na madrugada em torno de 06h30, cerca de uma dúzia de pessoas foram para a caverna com Bernadette. A Santíssima Virgem apareceu, e estava satisfeita que Bernadette voltará, mantendo sua promessa e disse que, em seguida lhe faria revelações. Nesta aparição se manifestou o diabo gritando "Vá embora!... Vá-se embora".

Quinta aparição

(20 de fevereiro)

Na manhã da quinta aparição Bernadette, acompanhada por sua mãe, chegou a Massabielle as 06h30min e a aparição durou cerca de quarenta minutos, o objetivo era uma oração ensinada "palavra por palavra" da Virgem a Bernadette. Cerca de duas da tarde o comandante da polícia deixava Tabes Renault e chegava a Lourdes para fazer uma investigação das coisas extraordinárias que aconteciam na gruta.

Sexta aparição

(21 de Fevereiro)

Recém chegados a Gruta ajoelharam-se e Bernadette tomou o rosário do bolso e começou a rezar para a Virgem Santíssima que apareceu para ela: "A Sra., destacando seu olhar sobre mim por um momento, por sobre minha cabeça, perguntou o que me entristecia e disse: "Rezai para os pecadores! "Logo eu fui tranqüilizada pela expressão calma e boa que eu vi no seu rosto e, em seguida, desapareceu. "Na noite de 21 de fevereiro interveio a Polícia, submeteram Bernadete a um interrogatório. Finalmente seu pai a proibiu de continuar a ir à gruta. Em 22 de Fevereiro, a vidente foi levada pelo fervor das pessoas a gruta, onde ele se ajoelhou para rezar o Rosário e chorou, pois não houve aparição. O pai deixou de lado proibição de sua filha com grande desaprovação do comissário.

Sétima aparição

(23 de fevereiro)

Bernadette chegou de madrugada, acompanhada por sua mãe e tias Bernard e Basil. Uma centena de pessoas já estava lá, incluindo o Dr. Dozous ordenado, Lafitte militar. Virgem Maria anunciou a Bernadette três segredos que só se preocupava que ela não contasse a ninguém. Isso é chamado agora "A aparição do segredo". A senhora, que ainda não tinha declarado o seu nome a Bernadette disse: "Agora minha filha, vá dizer aos padres que eu quero estar em uma capela". Bernadette tentou dizer com todo cuidado ao pároco Peyramale o desejo da Senhora, mas o padre não iria acreditar e instruiu a menina a perguntar o nome desta senhora. Mais tarde, para que ele acredita-se na visão, exigiu que o jardim de roseiras perto da caverna teria que florescer, como um sinal de que as aparições não eram o resultado de uma ilusão.

Oitava aparição

(24 de Fevereiro)

A menina chegou perto do jardim de rosas, e viu que a Senhora realizou as condições pedidas pelo sacerdote. Ela não respondeu, mas com uma voz muito grave, manifestou o desejo de que Bernadette reza-se pelos pecadores. Então, a senhora deu a Bernadette uma mensagem de arrependimento e de oração: "Penitência! Penitência! Penitência! Ore a Deus pela conversão dos pecadores! Beijar o chão como sinal de arrependimento em nome dos pecadores. O número de pessoas presentes nesta aparição foi de cerca de quinhentas como a declaração escrita pelo Marechal de Cel. dirigida ao seu superior.

Nona aparição

(25 de Fevereiro)

Depois de um momento de oração Bernadette subiu à cabeça na Gruta, e foi beijar o chão da rocha, sobre o mato. Em seguida, desceu a ladeira, e depois de coleta algumas rosas, voltou em êxtase. Depois de três dezenas do Rosário, Bernadette levantou-se, mostrou-se incerta, vacilantes todos voltados para a gruta,ela deu dois ou três passos à frente. De repente, ela parou, olhou para trás, parecia ser chamada por alguém e ouviu palavras que pareciam vir do lado da pedra. Ela fez um sinal afirmativo, retomou a sua caminhada, mas para o lado esquerdo da gruta. A três quartos da encosta, ela parou e virou-se em um olhar de perplexidade. Ela levantou a cabeça, como a pedir a SRA., então resolutamente se inclinou e começou a cavar. O pequeno buraco que acabara de escavar, ficou cheio de água depois de esperar um momento, bebeu e banhou o rosto ali, em seguida, tomou alguns "punhados de grama e levou-os à boca. Mais tarde, Bernadette disse: "Enquanto eu estava orando, a Senhora me disse com uma voz amigável, mas séria ao mesmo tempo:" Vá beber e se lavar na fonte. "Eu que não sabia onde ela estava, pensei que não havia qualquer outra fonte, então caminhei pela gruta. A senhora me chamou e me fez sinal com o dedo para seguir para o lado esquerdo da gruta, eu obedeci, mas não vi nenhuma água. Não sabia por onde começar, eu cavei a terra e ela estava vindo. Eu esperei sorver um pouco de água do buraco "então eu bebi e depois me lavei".

Após a descoberta de novas fontes milagrosas, muitos correram para dentro da caverna e banharam algumas roupas naquela água. A fontes não prevista pelos estudiosos, renderam uma quantidade de 120 mil litros a cada vinte e quatro horas e nunca secavam. Em 26 de fevereiro foi a primeira cura milagrosa: O pai de Bouriette foi recuperado de uma doença dos olhos ao banhar-se na fonte. Como sinal de gratidão todos os pedreiros abriram espontaneamente com as mãos, enxadas e picaretas um caminho entre as pedras, para ficar mais confortável chegar a Gruta.

Décima aparição

(26 de Fevereiro)

Contra todas as expectativas, bem antes do amanhecer de Massabielle, houve um afluxo de pessoas maior que no dia anterior. Bernadette ajoelhou-se e, após a recitação do Rosário cumprimentou a senhora que a convidou para fazer penitência e rezar pelos pecadores. Então ele disse: "Beija o solo para o arrependimento dos pecadores." Na tarde daquele dia, a vidente, foi submetida a um interrogatório rigoroso por parte do procurador e outros inquisidores Imperiais. O questionamento não teve resultado: a moça disse que voltaria no dia seguinte, a Gruta.

Décima Primeira aparição

(27 de fevereiro)

Desde as três da manhã nas estradas que levam à Gruta de Massabielle, muitos soldados, enviados pelo Ministério Público, estiveram presentes na aparição e ficaram profundamente impressionados: Nossa Senhora novamente havia os convidado a rezar pelos pecadores, repetindo palavras e gestos de 24 de fevereiro. Pouco depois Bernadette foi rezar na igreja.

Décima segunda aparição

(28 de fevereiro)

Bernadette entra em êxtase, diz dezenas de Rosários. De repente você percebe que ela iria para frente sobre os joelhos, mas a multidão era tão densa que a impedia. Dois soldados da guarnição abriram uma passagem, Bernadette seguiu oito metros, de novo, repetidamente, beijando o chão, lambuzando os lábios e as mãos. Estes perceberam a nítida impressão de que ela fazia isto em um sinal de penitência pelos pecadores.

Décima terceira aparição

(01 março)

Pela primeira vez, acompanhado por sua filha, Francisco Soubirous foi à gruta "porque pessoas mal intencionadas podiam esgueirar por entre a multidão."

Décima quarta aparição

(02 de março)

Quando Bernadette entrou na gruta já haviam cerca de 1.300 pessoas, conforme ilustrado por um relatório do Comissário da Polícia Jacomet.Um êxtase que deixa todos intrigados com a sua brevidade. As palavras são da Virgem: "Vá dizer aos sacerdotes que construam uma capela aqui e gostaria que viessem aqui em procissão..

Décima quinta aparição

(04 de março)

Naquele dia quase vinte mil pessoas correram para a caverna. Bernadette estava em êxtase com os olhos fixos em algo ou em alguém, então comeu mais grama. A aparição se foi tranquilamente... Bernadette primeiro sorriu, ela estava triste, fez o sinal da cruz, apagou a vela e retomou seu caminho de volta para casa.
A noite desse dia uma criança de doze anos que tinha sido molhada com água da fonte foi milagrosamente curada: foi Jean que morreu em Bouhorts então aos 79 anos. Neste dia, Bernadette disse: "Fiquei triste quando ela estava triste, e eu sorri quando ela sorriu, me disse muitas vezes que devia orar pela conversão dos pecadores, então eu fiquei triste".

Décima sexta aparição

(25 de março - Festa da Anunciação)

Bernadette chegou à Gruta no início da manhã, encontrou a senhora já esperando, cercada por um brilho de luz celestial em pé acima do roseiral. Assim, muitas pessoas estavam presentes. Ela começou a recitar o rosário como de costume. A vidente perguntou a Virgem Maria, qual era o seu verdadeiro nome, ele não teve nenhuma resposta, somente após o quarto pedido, a Senhora, tomou um olhar solene e humilde ao mesmo tempo, com as mãos cruzadas, levou-as ao peito, olhou para o céu, em seguida, reabrindo-as e estendendo-as a Bernadette, disse finalmente com a voz trêmula: "Eu sou a Imaculada Conceição". A vidente não compreendeu o significado desta palavra, queria perguntar se não era mesmo a Mãe de Deus, mas Maria já tinha desaparecido. Esta aparição durou cerca de uma hora. Essa frase foi incompreensível para Bernadette, no entanto, reiterou que as pessoas ali criaram um alvoroço de alegria. A menina correu para informar o pároco Don Peyramale, repetindo as palavras ditas na estrada de Virgem Maria. Quando veio o padre perguntou-lhe: "A senhora é, talvez, a Santíssima Virgem?" E Bernadette respondeu: "Não, eu não penso assim! Ela é a Imaculada Conceição". Assim que o padre ouviu o título devocional, foi convencido da aparição, pois Bernadette nunca poderia saber o nome. Uma senhora educada explicou o que significava a vidente esse nome, em seguida, Bernadette teve certeza de que a "SRA" era a Virgem Maria.

Décima sétima aparição

(7 de Abril)

Eram cinco horas da manhã, Bernadette já estava de joelhos e rezou o rosário na mão direita e deixou uma vela acesa. Entrando em contemplação retirou a sua mão quando a vela continuou a queimar em suas mãos. Dr. Dozous, que estava com ela, percebeu esse fenômeno, que durou cerca de quinze minutos. A vidente viu a aparição, em seguida, ainda em êxtase de joelhos, caminhou dentro da caverna, depois afastou as mãos uma para longe da outra e, assim, interrompeu a ação do fogo dentro de sua mão esquerda. O êxtase durou cerca de três quartos de hora, a chama dentro da mão esquerda cerca de um quarto de hora. Em um exame médico foi observado que a pele da mão não sofreu qualquer alteração, e Bernadette, no estado normal, era sensível ao calor da chama.
Após esse milagre retumbante a polícia havia fechado a caverna com barreiras de madeira, a água foi declarada água normal e Bernadette foi declarada insana.

Décima oitava aparição

(16 de julho)

Foi a festa de Nossa Amada Senhora do Monte Carmelo: Bernadette foi à igreja bem cedo e tomou a comunhão. À noite voltei para a igreja, quando ela sentiu-se chamada e pediu para voltar para a caverna das maravilhas. Assim ela fez. Ela foi tão longe quanto era possível e ajoelhou-se na margem do rio Gave, próximo a obstáculos que impediam a entrada na caverna. Nessa posição, ela começou a orar, ele de repente viu a Virgem Maria, além das barreiras que fechavam a Gruta, mais bonita do que nunca e sorrindo, em silêncio, desapareceu logo depois que havia aparecido. Em todas essas aparições das mensagens eram longas e muitas vezes as reuniões eram completamente silenciosas.

Depois destes acontecimentos milagrosos, em 28 julho, o Bispo de Tarbes, Dom Laurence Bertrand Severo, a Igreja formou uma comissão para investigar os acontecimentos de Lourdes e anunciou isto em uma longa carta pastoral dirigida ao clero e aos fiéis da diocese. A investigação durou quatro anos, a investigação foi muito profunda. Todos os pesquisadores apresentaram ao bispo opinião unânime sobre a autenticidade das aparições. O bispo escreveu no artigo 1º da declaração de autenticidade: "Julgamos que a Imaculada Mãe de Deus realmente apareceu a Bernadete Soubirous em 11 de fevereiro de 1858, e dezoito vezes a gruta de Massabielle, perto da cidade de Lourdes, julgamos que esta aparição tem todos os personagens de verdade e pode ser confirmada por alguns fiéis...
No final de Setembro de 1858, o filho do Imperador Napoleão III ficou gravemente doente, uma senhora da cortê deu-lhe de comer grama da caverna e logo ele se recuperou. Então, o imperador imediatamente deu a ordem para reabrir o lugar milagroso.
Em 1866, Bernadette entrou na Congregação das Irmãs da Caridade e do Ensino Religioso, onde permaneceu treze anos em desentendimento entre os membros superiores e sofreu muitos sofrimentos e humilhações. Em 1876, o convento de Nevers tinha escrito uma carta ao Papa Pio IX, trazida para Roma pelo bispo de Nevers, onde entre outras coisas disse: "Parece que a Virgem Maria do Céu deve muitas vezes olhar para você de uma forma maternal, porque você, tem proclamado a Imaculada. Gosto de pensar que você é uma favorita particular desta boa Mãe, que há quatro anos, veio em pessoa a dizer: "Eu sou a Imaculada Conceição".

Bernadette morreu neste mundo a 16 de abril de 1879. Seu corpo permaneceu incorrupto até hoje. Ela foi beatificada em 1925 e canonizada em 1933. Lourdes se tornou o principal local de peregrinação na Europa. A forma e o estilo das celebrações criou um modelo para outros santuários. A primeira igreja foi construída em estilo gótico em 1864 sobre a rocha de cima da caverna. Em 1889 ela foi consagrada, chamada a Basílica do Rosário, em estilo romano-bizantino. Nela, no altar principal, está a estátua de Nossa Senhora de Lourdes, foram construídas com a ajuda dos católicos de todo o mundo como oferta de reparação a Nossa Senhora de Lourdes, em resposta ao livro escrito pelo romancista Emile Zola , um livro de mentiras, calúnias e insultos. Foi construída em 1958 uma enorme terceira igreja que pode acomodar mais de vinte mil pessoas, a Basílica de Pio XI consagrada pelo cardeal Roncalli. A estância de Lourdes absorve cerca de dois milhões de peregrinos por ano. No aniversário do primeiro centenário, havia cerca de seis milhões de peregrinos. Foram anunciadas mais de cinco mil curas milagrosas, dos quais 58 foram provadas (até 1960).

Pode interessar